Cinco motivos que fazem de Brasília a "Ilha de Lost" do futebol brasileiro

Brasília completa nesta terça-feira, 21, 55 anos de fundação. Marco na arquitetura e no urbanismo no Brasil, a capital ainda sofre com a falta de organização e o pouco interesse de seus moradores com o futebol local. Reunimos o que aconteceu de mais marcante nos gramados brasilienses recentemente. Confira, abaixo.

Os fatos pitorescos do fuetbol em Brasília

  • Motorista fujão

    Em 2014, o jogo de abertura do campeonato do DF terminou com vitória por W.O. do Brasília sobre o Formosa-GO porque o motorista do ônibus do time goiano fugiu com o ônibus para vender as chuteiras e comprar crack.

  • Tudo junto e misturado

    Único campeonato estadual que reúne time de três unidades da Federação (DF, GO e MG). O atual campeão brasiliense é o Luziânia, de Goiás.

  • Vapt-vupt

    O Ceilândia venceu um dos jogos mais rápidos do história do futebol. A partida contra o Paracatu-MG, em março deste ano, acabou após 90 segundos (sim, um minuto e trinta segundos) porque o goleiro mineiro alegou uma lesão no primeiro lance de jogo e teve de sair de campo. Mas o Paracatu só tinha oito jogadores em campo e nenhum no banco de reservas. Por isso, o árbitro decidiu encerrar o jogo.

  • Longe da elite

    Única capital de país campeão mundial que não tem time nem na primeira, nem na segunda e nem na terceira divisão.

  • Estreia para lá de demorada

    Em 2014, o zagueiro Andre Luís, ex-Botafogo e Santos, estrearia no Brasiliense contra o Paracatu-MG, em Luziânia-GO, pela segunda fase do campeonato local. Mas o time mineiro não apareceu no jogo. Foi remarcada a partida, Andre Luís estreou, mas o jogo também foi cancelado. A estreia, de fato, do zagueirão só ocorreu quinze dias mais tarde, aí sim, em Paracatu, contra o time da casa.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *