Corpo de filho de Geraldo Alckmin é velado no Albert Einstein

São Paulo – O corpo do filho do governador Geraldo Alckmin (PSDB), Thomaz Rodriguez Alckmin, começou a ser velado na madrugada desta sexta-feira, no hospital israelita Albert Einstein, em São Paulo. Thomaz Alckmin foi uma das cinco vítimas do acidente com helicóptero, que caiu na tarde desta quinta-feira, em Carapicuíba, em SP.

Segundo o Palácio dos Bandeirantes, o velório do filho caçula, de 31 anos, do governador Geraldo Alckmin estava marcado para às 4h30, mas por volta das 2h30, familiares e autoridades já começavam a se reunir no local. Após cerimônia, o corpo segue para Pindamonhangaba, interior de São Paulo e cidade natal da família. Thomaz será enterrado no cemitério municipal no final da tarde.

Saiba mais: Filho de Geraldo Alckmin morre em queda de helicóptero em São Paulo

Além de familiares, estiveram presentes na cerimônia estão o vice-governador, Márcio França, o deputado Carlos Bezerra Jr (PSDB-SP), o cantor e apresentador Ronnie Von, o empresário João Doria Jr, e secretários do governo Alckmin.


Velório do corpo de Thomaz Alckmin, no hospital Albert Einstein, em São Paulo

Foto:  Francisco Cepeda / Ag. News

Na saída do velório, Ronnie Von, que também é piloto, comentou que acha estranha a a causa do acidente — uma pá ter se soltado do motor do helicóptero. “Eu nunca ouvi falar disso. Se é destino ou fatalidade, não sei, Só sei que não existe dor maior que essa, é insuperável e se arrasta por toda a vida”, declarou aos jornalistas.

O filho do governador era piloto e estava no helicóptero acompanhando um amigo, que pilotava a aeronave num voo de teste. Segundo testemunhas, o acidente teria sido provocado pela perda de uma parte do helicóptero, provavelmente um pedaço da hélice, que teria se soltado antes de a aeronave despencar sobre a casa, que estava vazia na hora.


O helicóptero onde estava Thomaz Alckmin caiu sobre uma casa que estava vazia na hora do acidente. Todos os ocupantes morreram

Foto:  Reprodução

O acidente aconteceu por volta 17h20. Segundo a dona da aeronave, a empresa Seripatri, o helicóptero acabara de passar por uma manutenção preventiva, e o piloto e os três mecânicos faziam um teste. Thomaz Alckmin resolveu voar para acompanhar o amigo.

Fabíola Trombelli, ex-mulher de Thomaz, que vive com a filha do casal, Isabella, de 10 anos, na Noruega, disse que, informada do acidente, ligou para o governador, mas ele não conseguiu nem sequer falar com ela. “Ele só faz chorar”, disse ela.

Originalmente matéria publicada no Jornal O Dia (http://odia.ig.com.br)

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *