Últimas

Empresas preveem 'armagedom' por mudanças no Google nesta terça

Publicidade

O Google vai mudar nesta semana a forma como seu sistema de buscas recomenda sites após pesquisas feitas em celulares, uma alteração que deve penalizar diversos sites, incluindo os da Microsoft e da União Europeia.

A empresa começa nesta terça-feira (21) a atualizar a fórmula secreta usada para classificar e exibir os sites, dando prioridade aos que são formatados para dispositivos móveis e punindo os que não atenderem esse critério.

Especialistas em otimização de páginas para mecanismos de buscas apelidaram a mudança de “Mobilegeddon” (junção de “mobile” e “armagedom”), prevendo que companhias despreparadas para ela vão sofrer fortemente.

Um teste on-line oferecido pelo Google mostra que o site Europa, da União Europeia, não é “amigável” para celulares. Entre outros problemas, tem texto “muito pequeno para ler”, os links estão “muito juntos” e o conteúdo é mais largo do que a tela.

“Aqueles que não têm um site formatado para celulares não vão mais aparecer na primeira página, enquanto que rivais que têm uma presença nos dispositivos móveis vão tomar seu lugar”, afirma Gabrio Linari, da The Search Agency, uma agência de marketing on-line. As pessoas raramente vão além da primeira página do Google ao fazer uma pesquisa.

De acordo com dados da Somo, uma agência de marketing móvel, algumas das maiores companhias do mundo serão punidas pelo novo algoritmo. Elas incluem marcas de moda como Versace e grupos de tecnologia como como a Microsoft.

A mudança de sistema não vai afetar as buscas feitas em tablets ou desktops. Entretanto, como os dispositivos móveis são responsáveis por metade das buscas feitas no Google, as empresas vão notar a diferença.

Não se adaptar às mudanças no Google pode ser custoso. Quando o sistema de buscas introduziu a atualização Panda 4.0 no ano passado, houve impacto financeiro para grandes marcas como o eBay, que de repente perdeu muitas posições no ranking.

“Os negócios têm que acertar isso”, afirmou Sam Silverwood-Cope, da companhia de análise Pi-Datametrics. Entretanto, ele afirma que “a mudança vai durar algum tempo”, então pode ser interessante esperar e monitorar seus efeitos antes de fazer redesenhos caros de seus sites.

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *