Nos Everglades, Obama alerta que mudança climática não pode ser negada

Miami (EUA.), 22 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta quarta-feira (data local), Dia Mundial da Terra, que a realidade da mudança climática não pode ser negada por mais tempo, sendo necessário tomar medidas imediatas para atenuar seus efeitos.

Após uma visita guiada pelo Parque Nacional dos Everglades, no sul da Flórida e a maior reserva subtropical do país, Obama disse que a mudança climática “representa uma ameaça para as riquezas naturais americanas e a indústria turística”.

O presidente americano defendeu também a necessidade de lutar contra o fenômeno para não passar o problema para as próximas gerações e pediu ao Congresso mais verbas para a defesa do meio ambiente.

Insistiu sobre os danos que a mudança climática está provocando nos ecossistemas e se mostrou especialmente preocupado por seus efeitos nos Everglades, com mais de 600 mil hectares e uma grande variedade de espécies de animais.

“É um problema de agora e devemos atuar já. É, além disso, um problema de segurança nacional”, acrescentando que quer investir US$ 25 milhões de fundos públicos e privados para restaurar os parques nacionais, algo que considera uma “forma inteligente de proteger nossa economia”.

A preocupação de Obama é com a situação frágil dos Everglades, muito exposto ao aumento do nível do mar. Há risco da penetração de água marinha no interior do parque, podendo prejudicar os mais de US$ 82 bilhões gerados pelo setor turístico na Flórida. Só para a proteção dos Everglades, o governo americano investiu US$ 2,2 bilhões.

“Cada dólar investido em nossos parques nacionais gera dez para a economia. Trata-se de um bom investimento”, defendeu o presidente americano, citando um relatório ambiental oficial que será divulgado em breve pelo governo.

E alertou aos críticos da mudança climática: “O fato deles a negarem não significa que o fenômeno não ocorra”.

Assim, se referiu ao dever de ambos os partidos, republicanos e democratas, de “proteger o meio ambiente”, uma tarefa que deve ser feita pensando nas próximas gerações.

De acordo com a Casa Branca, o governador da Flórida, o republicano Rick Scott, negou o convite de Obama para se unir à visita aos Everglades. Ele é um dos que atraiu atenção nacional por apresentar uma postura cética quanto à mudança climática.

“Não sou cientista”, disse Scott sobre o aumento do nível do mar e as ameaças à Flórida, um dos estados americanos que serão mais afetados caso isso de fato ocorra.

À postura se somam os recentes protestos de ex-funcionários do Departamento para a Proteção do Meio Ambiente da Flórida, que alegam que há uma pressão interna para evitar o uso dos termos “mudança climática” e “aquecimento global” em documentos oficiais, algo negado pelo governador.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *