Últimas

ONU diz que tempo para encontrar sobreviventes no Nepal está se esgotando

Katmandu, 28 abr (EFE).- A equipe das Nações Unidas para a Avaliação e Coordenação em Casos de Desastre (UNDAC) alertou nesta terça-feira que o tempo para encontrar sobreviventes entre os escombros após o terremoto no Nepal está acabando.

Arjun Katoch, integrante da UNDAC, disse à Agência Efe que é pouco provável que as pessoas possam suportar viver sob os escombros durante mais de 96 horas, período encerrado hoje, quatro dias depois do terremoto de 7,8 graus que arrasou o vale central do país, onde se encontra Katmandu.

O funcionário das Nações Unidas afirmou que a UNDAC está fazendo tudo o que está ao seu alcance para apoiar as tarefas do governo nepalês, e afirmou que levando em conta a passagem do tempo, existe a possibilidade de que em breve os trabalhos de resgate sejam finalizados.

“Mas isso é uma decisão do governo”, ressaltou. No entanto, Katoch argumentou que no momento as autoridades devem começar a dar prioridade às tarefas de reconstrução e reabilitação.

As ruas de Katmandu acumulam toneladas de escombros de edifícios desabados e edificações a ponto de colapsar, o que mantém milhares de pessoas em acampamentos improvisados.

Os trabalhos de resgate continuam hoje em diferentes pontos da capital e algumas pessoas ainda foram resgatadas com vida, como o proprietário de um hotel que foi tirado dos escombros de uma estação de ônibus. No entanto, a maioria das pessoas encontradas estão mortas.

De acordo com a última apuração oficial, mais de 4.300 pessoas morreram e mais de sete mil ficaram feridas no terremoto.

O terremoto do sábado foi o de maior magnitude registrado no Nepal em 80 anos, e o pior ocorrido na região em uma década.

Em 2005, um tremor causou uma grande tragédia na Caxemira, com um saldo de cerca de 84 mil mortos.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *