Últimas
xaropinho

Polícia prende último acusado de envolvimento na morte de advogado

‘Xaropinho’ já responde pelo crime de latrocínio; Rangel Menezes foi morto no bairro da Ponta Verde

 

Uma operação dos policiais civis da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic) prendeu, nesta terça-feira (14), o último acusado de envolvimento na morte do advogado Rangel Menezes de Oliveira, no bairro da Ponta Verde, em Maceió. Manoel Firmino da Silva Neto, conhecido como “Xaropinho”, de 19 anos, foi detido no município de Coruripe, Litoral Sul de Alagoas.

Segundo os policiais que participaram da ação, Xaropinho é um reeducando do sistema prisional de Alagoas e responde por outro latrocínio, cometido quando era adolescente. Na época do crime, ele estava no regime semi aberto e tinha sido liberado cerca de uma semana antes.

Manoel é o acusado de atirar em Rangel porque ele não quis entregar a chave do carro. A polícia já havia capturado Alex Cavalcante da Silva, conhecido como “Bochecha”, e um adolescente que confessou ter dirigido o carro que deu apoio aos criminosos na fuga.

A operação para prendê-lo contou com a participação de policiais civis da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), comandados pelo delegado Ronilson Medeiros, grupamento aéreo da Secretaria de Defesa Social e Ressocialização (Sedres), e da Polícia Militar.

De acordo com o delgado Ronilson Medeiros, “Xaropinho” foi preso no povoado de Barreiras, na companhia de Eliseu Rosa da Silva, de 20 anos, que também foi detido. No momento da abordagem, os acusados ainda tentaram fugir, mas foram capturados. Com eles, os policiais encontraram drogas. Os acusados também serão autuados pelo crime de tráfico e associação para o tráfico.

O inquérito policial que indiciou os acusados do homicídio, foi concluído pelo delegado Manoel Acácio Júnior, e encaminhado a 17ª Vara Criminal da Capital.

O crime
O advogado Rangel Menezes de Oliveira, de 59 anos, foi morto a tiros no dia 24 de fevereiro, no bairro da Ponta Verde, em Maceió.

 

PorGazetaweb

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *