René revela 'babá' para Jobson e medo de armação de árabes em antidoping

  • Vitor Silva / SSPress.

O técnico René Simões revelou nesta sexta-feira e coletiva de imprensa que teme por uma recaída de Jobson após a punição por quatro anos imposta pela Fifa. Por conta disso, o Botafogo providenciou uma pessoa para ficar na casa do atacante neste período. Além disso, o treinador trouxe a público uma conversa que teve com o jogador nesta sexta, quando o atleta falou que não fez o antidoping na Arábia Saudita por medo de armação.

Explica-se. Jobson estava sem receber no Al-Ittihad e se recusou a entrar em campo. Ele entrou com uma ação na Fifa contra o clube árabe. Após isso,o próprio Al-Ittihad pediu para que o jogador passasse pelo exame e a federação local foi até o hotel onde o atacante se hospedava. Sem intérprete no local, o jogador achou tudo muito estranho e se recusou.

“Tivemos uma conversa longa e a preocupação de mandá-lo para casa. Perguntei o que houve lá. Conheço bem o mundo árabe. Segundo o Jobson, os árabes deviam dinheiro a ele e quiseram fazer o exame. Não existe droga na Arábia Saudita. Ele estava com um interprete que fala espanhol. Ele não entendeu bem e ficou com medo de fazer. “Eles me deviam e fiquei com medo de armarem uma para mim”, palavras dele”, disse o técnico René Simões.

Nesta sexta-feira, Jobson foi ao Engenhão, mas logo foi liberado da atividade. O atacante voltou para casa, mas acompanhado de um funcionário do clube, que ficará ao lado do jogador neste período. A medida tem como objetivo evitar que o atleta tenha uma recaída por conta dos problemas enfrentados.

“Ele foi para casa, mas não está desamparado. Já coloquei uma pessoa para cuidar dele. Se eu temo uma recaída? Todos os dias. Sabemos como é difícil e precisamos estar juntos agora”, completou René Simões.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *