Últimas

Rival de Spider não teme confronto em seletiva olímpica: "Aposto em mim"


Guilherme Félix, líder do ranking brasileiro entre os pesados, acredita que poderá derrotar Anderson Silva na seletiva olímpica

Foto:  Divulgação

São Paulo – Menos de uma semana depois de ter criticado a intenção de Anderson Silva em disputar uma vaga na equipe do Brasil de taekwondo para as Olimpíadas do Rio 2016, o lutador Guilherme Félix, líder do ranking olímpico brasileiro na categoria pesado (acima de 80 kg) e possível rival do ex-campeão do UFC na seletiva nacional, ameniza o discurso mas não perde a confiança. O lutador capixaba, de 25 anos, diz que acredita em vitória num possível confronto entre ele e o Spider na seletiva.


LEIA MAIS: Seletiva de Taekwondo de Anderson Silva é vista como jogada de marketing

“Fico um pouco mais tranquilo agora que a confederação anunciou a presença do Anderson na seletiva. Vamos ficar à espera dos critérios dos eventos qualificatórios, que não sabemos aindaquais serão. Se tiver que enfrentá-lo, com certeza apostaria na minha vitória”, disse Félix, 18º no ranking mundial da WTF (Federação Mundial de Taekwondo) no ranking olímpico, criado pela entidade como forma de ajudar a definir os atletas qualificados para disputar os Jogos do Rio.

Nesta quarta-feira, a CBTKD (Confederação Brasileira de Taekwondo) anunciou em entrevista coletiva, que contou com a presença do próprio lutador, que Anderson Silva irá participar da seletiva nacional que definirá a equipe brasileira no Rio 2016.

Como país-sede, o Brasil já tem direito a quatro vagas no taekwondo, sendo duas no masculino e duas no feminino. A única destas vagas com categoria já definida é justamente a dos pesados, na qual Anderson Silva irá tentar uma vaga na seletiva. Na semana passada, por meio de uma rede social, Guilherme Félix qualificou de “piada” a tentativa do ex-campeão do UFC, que cumpre uma suspensão preventiva de doping, em pleitear um lugar na seletiva. Agora, com a definição da CBTKD, procurou contemporizar.

“Em nenhum momento apontei como desrespeito a presença dele. Isso aconteceria se ele entrasse pela porta dos fundos. Não fiquei descontente por ele decidir competir no taekwondo, ele poderá levar a bandeira da modalidade para todos os lugares. Porém, para disputar em nível internacional, é outra história”, afirmou o lutador, que negou ter recebido qualquer advertência por parte da CBTKD por conta de suas declarações.


LEIA MAIS: Basquete, vôlei, tênis e muito mais: acompanhe os esportes olímpicos

Guilherme Félix também reconhece que a vida de Andersopn Silva em se adaptar ao taekwondo – esporte que praticou até os 17 anos – não será fácil. “Creio que ele terá dificuldades, sim. Até hoje encontro pessoas que não conseguiram se adaptar à nova realidade do taekwondo, imagina ele que tem uma grande bagagem no MMA de treino e competições, mas tendo que adaptar o seu taekwondo antigo ao novo estilo? Não será fácil”, explicou

A seletiva para definir a equipe brasileira de taekwondo nos Jogos do Rio 2016 deverá acontecer a partir de janeiro, em etapas, devendo se prolongar até abril. Os critérios ainda não foram definidos pela confederação, que já admitiu ter “ganho na loteria” com a presença do ex-campeão do UFC na disputa por uma vaga olímpica. “Para a confederação está sendo muito bom mesmo. O Anderson Silva é um atleta reconhecido qualquer lugar no mundo”, afirmou Félix.


*Reportagem de Marcelo Laguna

Originalmente matéria publicada no Jornal O Dia (http://odia.ig.com.br)

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *