Últimas

Sete aquisições recentes envolvendo grandes empresas

Publicidade

A Royal Dutch Shell anunciou na última quarta-feira (8) a compra de gigante de óleo BG Group por US$ 70 bilhões. Com a aquisição da britânica BG, a Shell será a principal sócia da Petrobras na exploração e no desenvolvimento dos campos do pré-sal, maior foco de investimentos da companhia brasileira.

Segundo Rogério Gollo, sócio da consultoria PwC, dois cenários distintos favorecem as aquisições ou fusões de empresas. O primeiro é quando a economia está ruim e há queda de preço dos produtos. Então, para não perderem parte de sua estrutura, as companhias repõem o faturamento com a aquisição ou a fusão. O segundo é quando o mercado cresce de forma acelerada e as empresas querem crescer mais que o mercado.

No Brasil, de acordo com estudos da consultoria, 879 fusões ou aquisições foram registradas em 2014, número 8,25% maior que o total de 812 de 2013.

“Neste ano, esperamos que também aumente o número de fusões e aquisições. No caso do Brasil, algo em torno de 10% a 15% sobre o total do ano passado”, diz Gollo.

“Por causa do momento de dificuldade da economia, as empresas vão ter que tomar alguma atitude”, acrescenta.

Confira sete aquisições envolvendo grandes empresas nos últimos meses.

*

A empresa petrolífera anglo-holandesa Royal Dutch Shell comprou a britânica BG Group por 47 bilhões de libras (cerca de US$ 70 bilhões). O anúncio foi feito em um comunicado conjunto divulgado nesta quarta-feira (8).

Carl Court/AFP
Logo da Shell em posto de combustível
Logo da Shell em posto de combustível

Em março de 2015, a Kraft Foods fechou um acordo para se fundir com a H.J. Heinz e formar a quinta maior companhia de alimentos e bebidas do mundo. O negócio foi estimado em cerca de US$ 40 bilhões.

Scott Olson/AFP
Produtos da Heinz e da Kraft Foods
Produtos da Heinz e da Kraft Foods

O Facebook anunciou em fevereiro de 2014 a compra do serviço de mensagens instantâneas WhatsApp por US$ 16 bilhões. A aquisição, é a maior já feita pela empresa, e foi concretizada com US$ 4 bilhões em dinheiro e US$ 12 bilhões em ações da rede social.

Patrick Sison/Associated Press
Ícones dos aplicativos do Whatsapp e do Facebook
Ícones dos aplicativos do Whatsapp e do Facebook

Em agosto de 2014, a rede de fast food Burger King comprou a canadense Tim Hortons, uma cadeia de café que atua principalmente no Canadá e nos EUA, por US$ 11,5 bilhões.

Sean Kilpatrick/Associated Press
Placas das lanchonetes Burger King e Tim Hortons em Ottawa, Ontário, no Canadá
Placas das lanchonetes Burger King e Tim Hortons em Ottawa, Ontário, no Canadá

A Vivendi anunciou em setembro de 2014 que chegou a um acordo para vender a GVT, sua operadora no Brasil, para os espanhóis da Telefónica, em um acordo avaliado em € 7,2 bilhões (cerca de US$ 9,3 bilhões).

Juan Medina/Reuters
Sede da Telefonica em Madri, na Espanha
Sede da Telefonica em Madri, na Espanha

A sueca Electrolux desembolsou em setembro de 2014 US$ 3,3 bilhões pela divisão de eletrodomésticos da americana General Electric (GE), impulsionando sua posição no setor. A aquisição envolve ainda uma participação de 48,4% na companhia mexicana Mabe.

Ints Kalnins/Reuters
Fachada de loja da Electrolux
Fachada de loja da Electrolux

O grupo formado pela empresa de suco de laranja Cutrale e o banco Safra adquiriu em outubro de 2014 a empresa produtora de bananas com sede nos Estados Unidos Chiquita, em um acordo avaliado em US$ 1,3 bilhão.

David Paul Morris/Bloomberg
Entregador descarrega caixas de bananas "Chiquita", em Chinatown (EUA)
Entregador descarrega caixas de bananas “Chiquita”, em Chinatown (EUA)

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *