Últimas

WWF calcula valor dos oceanos em US$ 24 trilhões

Genebra, 23 Abr 2015 (AFP) – Os oceanos do mundo têm valor econômico de 24 trilhões de dólares, correspondentes à riqueza produzida pelos países mais desenvolvidos, segundo um estudo do Fundo Mundial para a Natureza (WWF).

Mas a ONG, que tem sede em Gland (Suíça), destacou que a exploração excessiva dos oceanos, a má gestão e as mudanças climáticas constituem uma ameaça cada vez maior para esta riqueza econômica.

O WWF afirma que uma estimativa prudente para o valor dos oceanos do planeta alcança 24 trilhões de dólares.

Os oceanos produzem a cada ano um rendimento econômico calculado em 2,5 trilhões de dólares, o que os deixaram entre o Reino Unido e o Brasil, que possuem Produto Interno Bruto (PIB) de 2,9 e 2,2 trilhões de dólares, respectivamente, na lista dos 10 países com maior PIB no mundo.

Para as estimativas, o WWF tem como base o novo relatório “Reviving the Ocean Economy”, elaborado em colaboração com o Global Change Institute da Universidade de Queensland (Austrália) e o Boston Consulting Group.

De acordo com o estudo, dois terços da criação anual de riqueza dos oceanos dependem diretamente de sua saúde econômica.

“Para preservar esta situação é necessário proteger os oceanos da exploração excessiva e das repercussões negativas do aquecimento global”, disse Alice Eymard-Duvernay, especialista de mares e oceanos do WWF na Suíça.

Metade dos corais do mundo desapareceu e, segundo o WWF, os recifes existentes terão desaparecido em 35 anos.

Além disso, o WWF considera que 90% da população de peixes é explorada em excesso ou está em perigo de esgotamento.

O WWF também advertiu que a destruição dos mangues, ecossistemas localizados em marismas de regiões tropicais, está de três a cinco vezes acima a de outros bosques.

“Ainda tempos tempo de inverter a tendência”, afirmou Alice Eymard-Duvernay.

Com este objetivo, o WWF propôs um catálogo de oito medidas, como a inclusão dos oceanos nas Metas de Desenvolvimento Sustentável da ONU, a adoção de medidas contra o aquecimento global e a obrigação de reforçar a proteção das zonas costeiras e marítimas.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *