'A família está completa', diz Ana Paula Tabalipa, mãe de quatro filhos

Ana Paula Tabalipa posa com os filhos: Lui, Pedro, Tom e Mia (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)Ana Paula Tabalipa posa para o EGO com os filhos: Lui, Pedro, Tom e Mia (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)

Ana Paula Tabalipa sempre sonhou em ser mãe. Mas o lado clichê da mulher romântica para por aí. Quando criança, ela falava que não queria casar. E, hoje, enfrenta a maternidade sem os floreios que os livros contam: “Ser mãe é maravilhoso, mas é muito cansativo. Eu não vivo em um conto de fadas. Minha família não é perfeita. A gente briga, grita e tem dias que quero sumir do mapa”, confessa ela.

Veja também:

EGO nas redes sociais

Mesmo assim, ela conta que não mudaria em nada sua vida. “É só você ver uma atitude do seu filho, um sorriso e perceber que ele está no caminho certo, que faz tudo valer a pena. Não há nada melhor do que ver a criança aprendendo e crescendo”, afirma a atriz durante matéria para o especial do Dia das Mães do EGO, no Parque Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Ana Paula é mãe de Lui, de 14 anos, de seu relacionamento com o baterista João Viana, filho do cantor Djavan; de Pedro, 11, e Tom, 10, de seu casamento com o artista plástico Philippe Gebara; e da caçula Mia, de 7 meses, fruto de sua união com o médico Marco Lage.

Ana Paula Tabalipa posa com os filhos: Lui, Pedro, Tom e Mia (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)Ana Paula Tabalipa: ‘Ser mãe é maravilhoso, mas
é muito cansativo’ (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)

A atriz conta que mesmo tentando dar a mesma educação para os quatro, a forma de falar com cada um é diferente. “Eu sou muito direta e sincera com eles. Tento conversar sobre tudo, mas mesmo tentando, não consigo. O Lui, por exemplo, é muito fechado. Já o Tom tenho certeza que vai me contar tudo. O Pedro é o que tem mais a minha personalidade e, consequentemente, com quem eu mais bato de frente. A maneira de chegar em cada um é diferente, mas deixo claro que estou aqui para o que eles precisarem. Até nas coisas mais cabeludas”, explica Ana.

Ela também já sente diferença na educação de uma menina, mesmo ainda sendo tão pequenininha. “Percebi que a mulher entende muito mais rápido. É muito diferente. E olha que tive um filho que falou mais cedo, outro que andou mais cedo… Mas nunca tudo ao mesmo tempo. A Mia é muito atenta, esperta… Mas é manhosa! Ela vai dar trabalho”, diverte-se ela.

Sem babá: a estranha
Mãe de quatro filhos, Ana não tem babá, o que causa estranheza em muitas pessoas. Ela conta que por isso ela tem uma rotina maluca: “É uma maratona. A Mia acorda às 5h30 da manhã e, logo depois, acordo o Pedro e o Lui porque eles estudam de manhã. Aí, ou eu ou o Marco os leva para o colégio. Quando estou de volta em casa, por volta das 7h20, acordo o Tom, que estuda à tarde. Aí eu o levo para o inglês ou para o futebol e depois para o colégio.
à tarde é mais tranquilo, mas os meninos mais velhos estão de volta e eles têm os compromissos deles: aula particular, música etc. No final do dia, ainda tenho de ficar enchendo o saco para fazer o dever de casa. Isso é a pior coisa de ser mãe: ter de estudar tudo de novo”, brinca ela.

Ana Paula Tabalipa posa com os filhos: Lui, Pedro, Tom e Mia (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)Ana Paula Tabalipa: “Dia das Mães para mim é
todos os dias” (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)

Mesmo com toda sua dedicação, a atriz diz que não se considera uma “supermãe”. “O que significa ser isso? Eu sou mãe, né? Acho que tem muitas mulheres hoje que não são. Eu que corto unha, limpo a orelha… Estou ali todos os dias. Lógico que tem o Marco e minha mãe para me ajudar, mas eu não desligo. Quando vou levar o Tom no inglês, tem só babá. Acho que elas devem ficar me olhando e achando: que estranha essa mulher”, diverte-se Ana.

Ana Paula diz que faz tudo isso sozinha porque ainda não voltou a trabalhar e ela, que é contratada até dezembro pela Record, confessa que quando voltar ao ar vai precisar da ajuda de uma profissional. “A bebê não pode ficar sozinha, né? Eu acho bom que ela me veja trabalhar e crie uma independência. Mas os filhos são meus né? Tem coisas que só eu posso fazer”, diz ela, acrescentando: “Nada contra as babás. Mas é chato você não ver as crianças com os pais”.

Dia das Mães
Ana Paula, geralmente, passa o Dia das mães no sítio de sua mãe, no interior do Rio de Janeiro. Mas a própria conta que não exige muito dos filhos na data: “A gente nunca comemorou muito, nenhuma data. Odeio essa coisa da obrigação. Eles só vão ficar comigo no Dia das Mães enquanto eles quiserem ficar. Senão a gente comemora outro dia. O importante é estar junto, independente da data. Não quero esse peso de jeito nenhum. Quero que eles fiquem livres”, conta ela.

Para ela, não precisa de uma data para comemorar a maternidade. “Acho muito chato esse peso do Dia das Mães. Mãe é um trabalho de todos os dias. Não adianta largar seu filho com a babá e num dia do ano todo mundo finge que é linda e vai em um restaurante comemorar.  Para mim, Dia das mães é todos os dias”, afirma ela, que não pensa em ter mais filhos: “Agora sinto que a família está completa”.

Ana Paula Tabalipa posa com os filhos: Lui, Pedro, Tom e Mia (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)Ana Paula Tabalipa foi mãe, pela primeira vez, aos 22 anos (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)

Cabelo e maquiagem: Duh Nunes/ Agradecimentos: Parque Jardim Botânico

Fonte: Ego.globo.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *