'A Incrível História de Adaline' é como um doce que se devora sem enjoar

Publicidade

A fábrica de fantasias de Hollywood já gerou todo tipo de ilusionismo relacionado ao amor e a suas promessas de felicidade. “A Incrível História de Adaline” junta a essa lista interminável outro sonho cada vez mais importante para a maioria: não envelhecer.

O filme ecoa, no título brasileiro, “O Curioso Caso de Benjamin Button” (2008), personagem que também tinha uma relação perturbada com a seta do tempo.

Ao contrário da fábula protagonizada por Brad Pitt, que brinca com o delírio do rejuvenescimento, Adaline Bowman (Blake Lively) vive um curioso caso de eterna juventude.

As qualidades do filme dirigido por Lee Toland Krieger estão no modo negativo como a situação é representada.

A Incrível História de Adaline

A cena inicial mostra a protagonista cometendo um crime de falsificação de documentos e anuncia a ideia central do filme, a de ler o ganho na aparência como um dano para a existência.

Um recuo no tempo explica com uma imaginação científica de fábula a origem da mutação genética que lançou Adaline fora da natureza humana, tornando-a pária.

O tom declamatório e teatral do narrador afeta o episódio com distância e humor. Em vez de parecer trágico, o acidente soa como fantasia assumida, um truque de roteiro ao qual aderimos com satisfação.

Na primeira metade, o filme mostra em ritmo de aventura as dificuldades trazidas pela aparência imutável.

De situações constrangedoras na vida social à perseguição por agentes da lei, parecer jovem o tempo todo é mostrado como um problema bem maior do que uma solução.

Na segunda parte, o longa desenvolve uma situação romântica na medida para agradar aos fãs das tramas de Nicholas Sparks –autor de “Diário de uma Paixão”–, mas que também joga com os limites do convencional.

A sobreposição do presente com um retorno do passado culmina na reviravolta que introduz a aparição muito especial de Harrison Ford.

No papel de filha mais idosa que a mãe, Ellen Burstyn é outra veterana que valoriza o filme com instantes de encantamento pela interpretação.

A dosagem exata dos ingredientes faz de “A Incrível História de Adaline” algo semelhante àqueles doces que a gente devora sem enjoar.

Adaline

A INCRÍVEL HISTÓRIA DE ADALINE
(The Age of Adaline)
DIREÇÃO Lee Toland Krieger
ELENCO Blake Lively, Michiel Huisman e Harrison Ford
PRODUÇÃO EUA, 2015, 12 anos
QUANDO estreia nesta quinta (21)
AVALIAÇÃO bom

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *