Últimas

Alemanha prende quatro suspeitos de planejar ataques contra muçulmanos

Publicidade

Quatro pessoas suspeitas de integrar uma organização de extrema-direita e de preparar atentados contra muçulmanos foram detidas nesta quarta-feira (6) na Alemanha, anunciou a Procuradoria Federal.

Os suspeitos, três homens e uma mulher, de nacionalidade alemã e com idades entre 22 e 56 anos, teriam planejado atentados contra “personalidades salafistas, mesquitas e contra centros de abrigo para demandantes de asilo”, afirma um comunicado da Procuradoria.

Os suspeitos teriam fundado uma “organização terrorista, a Oldschool Society, que teria por objetivo cometer os ataques em pequenos grupos”.

Um dos presos, identificado como Andreas H., de 55 anos, nascido na Baviera, era considerado como o “presidente” do grupo. Outro dos detidos, Markus W., de 29 anos, era o “vice-presidente”. Denise Vanesa G., de 22, e Olaf Ou., de 47, também faziam parte da cúpula da célula.

As residências dos detidos foram revistadas, assim como os apartamentos de outras cinco pessoas. A Procuradoria não informou as cidades das operações.

Os 250 investigadores envolvidos na operação encontraram “material pirotécnico de alto poder explosivo, assim como outros elementos incriminatórios”, afirma o comunicado. Os investigadores se basearam em informações do serviço de inteligência alemão.

“Por mais preocupante que seja esse incidente, estamos contentes com o sucesso da investigação”, disse o ministro do Interior da Alemanha, Thomas de Maiziere.

O ministro afirmou ainda que, segundo estatísticas reveladas nesta quarta, o número de crimes violentos cometidos por radicais de extrema-direita cresceu 22,9% em 2014, alcançando 1.029 casos –incluindo 175 ataques a casas de refugiados, o triplo de casos registrados em 2013.

“Crimes que têm motivações xenófobas, antissemitas e racistas aumentaram”, disse de Maiziere. “Cada vez mais, casas de refugiados e de deslocados em busca de asilo têm se tornado alvos. Esses incidentes são alarmantes e devem ser contidos”.

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *