Últimas

Andrés Sanchez avisa que vai recorrer de decisão do TRE sobre contas de campanha

São Paulo – O deputado Andrés Sanchez (PT/SP) vai recorrer da decisão do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE/SP) que desaprovou suas contas da campanha de 2014. A defesa do parlamentar vê ‘contradição’ no argumento da Corte de que no processo não há prova da origem de uma doação de R$ 100 mil – segundo o TRE, o parlamentar entregou a prestação de contas com ausência do doador originário de R$ 100 mil, não comprovando a origem desse valor.

Em nota pública, Sanchez rebateu o entendimento dos magistrados eleitorais. Ele avalia que houve um equívoco com relação à ‘doação de origem não identificada na campanha eleitoral’. Sanchez foi o petista mais votado na disputa por uma cadeira na Câmara dos Deputados por São Paulo. Sua campanha custou R$ 2,1 milhões, segundo prestação de contas entregue à Justiça Eleitoral.

O parlamentar destacou que quando houve a doação realizada pelo Comitê Financeiro Estadual do PT, sua campanha, no dia 1.º de outubro de 2014, emitiu o recibo eleitoral ‘como determina a lei, sendo o mesmo, assinado pelo PT, momento em que o partido declarou como doadora originária a candidata Dilma Presidente’. Sanchez tornou público esse documento.

Ele ressalvou que, posteriormente, em 5 de dezembro de 2014, “por meio de declaração feita em papel timbrado do PT, o administrador financeiro Antônio dos Santos, tesoureiro do partido, retificou o doador originário de Dilma Presidente para a empresa UTC Engenharia, que não está dentre aquelas empresas vedadas pela legislação eleitoral a fazer doação”. Sanchez também disponibilizou cópia da declaração.

O deputado petista esclareceu que a doação de R$ 100 mil foi realizada pelo Comitê Financeiro Estadual do PT, por meio de cheque nominal à sua campanha eleitoral. Ele disponibilizou a cópia do cheque ‘para conhecimento público’.

Andrés Sanchez informou que o cheque foi depositado em sua conta de campanha eleitoral. Ele disponibilizou também o depósito.

Na nota pública, o deputado petista informou. “Comunico que vamos recorrer no próprio Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo da decisão proferida, por meio de embargos de declaração, pois a relatora do processo diz que não há no processo prova da origem da doação realizada a minha campanha, coisa que discordo, diante da farta documentação apresentada o que caracteriza contradição no julgado do acórdão.” Ele disse que confia “na reversão do julgado para aprovação das contas de campanha”. Se não vencer no próprio TRE/SP ele vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral em Brasília.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *