Últimas

Com lesão no ombro, Magrão brinca com recorde de jogos adiado pelo Sport mais uma vez

Ricardo Fernandes/DP/D.A.Press
Segundo avaliação do departamento médico rubro-negro, o goleiro ficará no mínimo 60 dias fora de atividade

Um lance sem maior perigo. Um chute despretensioso do Flamengo. Mas que tirou o goleiro Magrão das atividades pelos próximos 45 dias, devido a uma lesão no ombro. Desfalque importante para o Sport no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil e que adiou, mais uma vez, o goleiro de se tornar isoladamente o jogador que mais atuou com a camisa leonina na história. Atualmente, o camisa 1 divide o posto com o ex-zagueiro Bria, que atuou no clube entre as décadas de 1940 e 1960, com 570 partidas. 

A marca já deveria ter sido batida por Magrão no dia 22 de março, contra o Náutico, pelo Campeonato Pernambucano. Porém, desde então, o Superesportes descobriu, com ajuda do Centro de Documentação do Diario e de pesquisadores da Bahia, Piauí, Rio Grande do Norte e Paraíba mais 14 jogos de Bria, aumentando o recorde ara 570 jogos. Número que Magrão superaria nesta quarta-feira, contra o Santos. Não fosse a lesão sofrida no Maracanã.

Em entrevista ao Superesportes, o ídolo rubro-negro mostrou bom humor ao tratar do novo adiamento do recorde. “Vocês (jornalistas) têm esses 45 dias para fuçar a vontade e descobrirem mais jogos de Bria. Depois disso é sacanagem”, brincou Magrão. “Mas para falar a verdade, no momento da lesão, nem lembrei do recorde. Nunca busquei isso. É uma coisa que aconteceu naturalmente. Fico chateado por ter que sair do time em um momento bom. Com a equipe iniciando bem o Brasileiro e voltando a jogar um bom futebol”, completou.

O próprio Magrão se mostrou surpreso como a lesão aconteceu. Para ele, um acidente. “Foi um chute fraco. A minha queda é que foi estranha. Fiz o apoio no cotovelo e coloquei toda a força no braço, o que acabou deslocando o ombro”, explicou. “Lesão sempre é chato. Desde que cheguei ao Sport essa é a terceira que precisarei de mais tempo de recuperação. Mas não estou apreensivo. Depois que o ombro fortalecer, já era”, afirmou, confiante.

O goleiro também se mostrou tranquilo quanto ao seu substituto nos próximos jogos do Sport. Para Magrão, Danilo Fernandes tem todas as condições de manter a qualidade na meta leonina. “Ele é um goleiro pronto. Assim como o Luiz Carlos (terceiro goleiro). O Danilo já atuou em alguns jogos esse ano e foi muito bem. Espero que a torcida o apoie”, ressaltou Magrão, que também elogiou a atuação improvisada do meia Diego Souza, embaixo das traves, no empate contra o Flamengo.

“Ele correspondeu à altura. Principalmente na saída de bola. A gente até brinca que no rachão ele sai bem pra caramba do gol. Contra o Flamengo ele fez o que poderia fazer. O gol que ele sofreu não teve culpa. Qualquer goleiro dificilmente defenderia aquele chute”, lembrou.

Porém, sobre o jogo no Maracanã, Magrão acredita que o resultado poderia ter sido outro, caso ele tivesse permanecido na partida. A lesão no ombro veio quando o Leão vencia por 2 a 1. “É difícil falar. Nós poderíamos até ter perdido se eu tivesse permanecido. Mas a chance de segurar a vitória seria maior. Não pelo fato do Diego Souza ter ido para o gol. Mas porque ficamos com um jogador a menos em campo”, encerrou.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *