Últimas

Corinthians tem 2 expulsos, perde para o Guaraní e está fora da Libertadores

São Paulo – Favorito ao título, o Corinthians deu adeus de forma melancólica ao sonho de conquistar o bicampeonato na Taça Libertadores nesta quarta-feira, ao ser eliminado pelo modesto Guaraní após derrota por 1 a 0, em São Paulo. Longe de apresentar o bom futebol do início do ano, o Timão não conseguiu reverter a vantagem de dois gols conquistada pelos paraguaios na partida de ida. Ameaçou no primeiro tempo, mas viu seus atletas mais experientes perderem a cabeça na etapa final. Fábio Santos, capitão do time, e Jadson acabaram expulsos em lances infantis, complicando ainda mais a missão dos comandados de Tite, que não corresponderam ao apoio dos mais de 39 mil torcedores que lotaram a Arena Corinthians. Para piorar, Fernando Fernández recebeu livre na área já nos acréscimos, dominou no peito e marcou para os paraguaios, encerrando uma invencibilidade de 32 jogos da equipe paulista em seu estádio. O Guaraní agora tentará repetir a histórica campanha de 1966 na Libertadores, quando chegou às semifinais. Os paraguaios enfrentam o vencedor do duelo entre Racing e Montevideo Wanderers, que se enfrentam na quinta na Argentina. A partida de ida terminou em 1 a 1.


Guarani derrotou o Corinthians na Libertadores

Foto:  Efe

Sem Emerson Sheik, suspenso, Tite precisou fazer mudanças na equipe. Cogitou escalar o colombiano Stiven Mendoza pela ponta esquerda, mas acabou preferindo colocar Malcom em campo. Já o técnico Fernando Jubero não apresentou nenhuma surpresa. Sem grandes problemas no elenco, confirmou praticamente a mesma equipe que venceu o Corinthians no Defensores del Chaco. A única mudança foi na lateral-direita, onde Filippini deu lugar a Maldonado. Precisando de um resultado elástico, o Corinthians partiu para cima do adversário desde o apito inicial. E começou a criar as melhores chances a partir de bolas levantadas na área, forçando o jogo especialmente pelas laterais do campo para superar a postura totalmente defensiva do adversário. A primeira das oportunidades ocorreu logo aos 5 minutos, quando Fábio Santos foi à linha de fundo pela esquerda e cruzou para Jadson, que chegou batendo de primeira, obrigando o goleiro Alfredo Aguilar a fazer importante defesa. Na sequência, aos 9, Guerrero se apresentou como elemento surpresa pela ponta direita e encontrou Malcom na área. A jovem aposta de Tite escorou para a chegada de Elias que, livre, acabou não alcançando a bola.

O Corinthians seguiu dominando as ações contra um recuado Guaraní, que jogava com o regulamento debaixo do braço, aproveitando a vantagem de dois gols conquistada no Paraguai. Principal esperança de gols da Fiel que lotava as arquibancadas da arena, Guerrero quase abriu o placar em duas oportunidades seguidas. Aos 35, após cobrança de escanteio, finalizou firme e a bola explodiu em Maldonado. No minuto seguinte, Jadson encontrou o artilheiro livre na entrada da área. O peruano dominou, soltou outra bomba, mas dessa vez foi impedido por Aguilar, que espalmou e impediu o gol. Apesar do domínio no primeiro tempo, o Corinthians entrou nos 45 minutos finais precisando de pelo menos dois gols para levar o confronto para os pênaltis. E Tite resolveu arriscar. O zagueiro Felipe foi substituído pelo meia Danilo, com Ralf sendo recuado para assumir a posição na defesa. Já Malcom deu lugar ao atacante Mendoza, cotado para começar jogando. A missão que já era difícil ficou ainda mais complicada aos 7 minutos.

Em um lance infantil com Santander, Fábio Santos levantou demais o pé e acabou levando o cartão vermelho. Mesmo com um jogador a menos em campo, o Corinthians seguiu tentando abrir o placar. Mas tinha dificuldades para criar jogadas mais elaboradas, insistindo com as bolas alçadas na área, facilitando a missão da defesa paraguaia, que saia jogando com tranquilidade quando recuperava a bola. Jadson também perdeu a cabeça aos 24 minutos. Acertou um tapa no rosto de Benítez, levou o segundo amarelo e foi expulso de campo, deixando o Corinthians com dois a menos. Abatido e cabisbaixo, o time pouco conseguiu produzir com a desvantagem numérica, mesmo com o apoio da Fiel, que ainda tentava empurrar o time rumo à vaga nas quartas de final. Para piorar o gosto amargo da derrota, o Guaraní abriu o placar aos 46 minutos do segundo tempo. Fernando Fernández recebeu livre na área, em condição legal, dominou no peito e fuzilou Cássio, que nada pôde fazer.

Originalmente matéria publicada no Jornal O Dia (http://odia.ig.com.br)

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *