Últimas

Dona da Gucci processa Alibaba por vender produto falsificado

Publicidade

A francesa Kering, dona das marcas Gucci e Yves Saint Laurent, decidiu processar o site chinês Alibaba por permitir a venda de produtos falsificados pela internet. O processo foi protocolado na última sexta (15) na Justiça de Nova York.

No processo, a Kering alega prejuízos devido à violação das leis de marca registrada e sustenta que o site Alibaba possibilita a atuação de organizações criminosas que fabricam, vendem e fazem o tráfico de produtos falsificados com as suas marcas sem a devida autorização.

Procurado, Bob Christie, porta-voz do Alibaba nos EUA, afirmou, em nota, que o site trabalha em parceria com diversas marcas para ajudá-las a proteger a propriedade intelectual de seus produtos. “Temos um histórico forte desse trabalho. Infelizmente, o grupo Kering escolheu o caminho litigante e dispendioso no lugar de uma cooperação construtiva. Acreditamos que essa reclamação não tem base e vamos combatê-la vigorosamente”, afirmou.

É o segundo processo em menos de um ano que a Kering entra contra o Alibaba alegando venda de produtos falsificados. Outro processo, de julho do ano passado, foi retirado para possibilitar uma tentativa de acordo da Kering com o Alibaba.

No novo processo, a Kering afirma que o Alibaba permite a veiculação propaganda e de serviços em suas plataformas que são essenciais para os falsificadores venderem seus produtos para os consumidores americanos.

O processo cita, por exemplo, a identificação da venda de um lote de 2.000 bolsas Gucci falsificadas, custando entre US$ 2 e US$ 5 cada, por um comerciante chinês. Uma bolsa Gucci original custa US$ 795.

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *