Últimas

Enem fica 80% mais caro e estudantes isentos não podem faltar

Brasília – Na esteira do reajuste fiscal promovido pelo governo, o ministro da Educação, Janine Ribeiro, anunciou nesta quinta-feira mudanças para o Enem deste ano. Entre as medidas, o aumento de 80% do valor da inscrição de R$ 35 para R$ 63. E para tentar diminuir os índices de abstenção, aqueles que não comparecerem nos dois dias de provas perderão o benefício da isenção do pagamento da taxa na próxima edição do exame. Os estudantes da rede pública, que são maioria entre os participantes, não precisam pagar a taxa. Quem justificar a ausência e tiver o argumento aceito não será punido.


Em entrevista, Renato Janine anunciou que as inscrições começam às 10h do próximo dia 25 de maio

Foto:  EBC

Com as alterações, o Ministério da Educação (MEC) espera economizar até 20% do que foi gasto em 2014. “Nossa meta principal é fazer o Enem, não fazer economia. Mas, se for possível, vamos fazer economia”, disse Janine Ribeiro. O MEC estima que o custo médio da aplicação da prova por estudante seja de R$ 52. “Tudo subiu na sociedade e esse valor está o mesmo desde muito tempo”, disse. Ele afirmou que o novo valor, sem atualização há dez anos, considera a inflação no período.

No ano passado, 73,5% dos inscritos no Enem tiveram isenção no pagamento da taxa por ter cursado o ensino médio em escolas públicas ou por ter comprovado carência — com renda familiar até 1,5 salário mínimo mensal. No entanto, 30% faltaram (mais da metade isenta da taxa de inscrição).

“Uma pessoa não pode ter isenção graças a recursos que a sociedade está pagando, e jogar isso fora. Há uma responsabilidade moral que é preciso assumir. E no escopo educacional, a ética é fundamental. Educação é também ter responsabilidade com os próprios atos”, justificou o ministro.

Também haverá economia com o envio dos cartões. De acordo com o ministro, serão poupados R$ 20 milhões apenas com o envio virtual da confirmação, deixando-se de imprimir cada um deles.

O presidente do Inep, Francisco Soares, esclareceu que o cartão de inscrição terá que ser baixado pelo estudante no site do exame. O documento servirá para consulta e não precisará ser apresentado no local da prova.

A estimativa é de mais de nove milhões de inscritos. No ano passado foram 8,7 milhões, dos quais 6,2 milhões de fato compareceram.O período de inscrição para as provas será de 25 de maio até 5 de junho, e o exame será aplicado nos dias 24 e 25 de outubro.

INSCRIÇÕES

As inscrições ocorrerão entre 25 de maio e 5 de junho. Quem não conseguir isenção, só terá confirmada a inscrição após o pagamento da taxa de R$ 63 até as 21h59 de 10 de junho.

TAXA DE INSCRIÇÃO

Depois de dez anos sem reajuste, sofreu aumento de 80%. Até 2014, o valor era R$ 35. Agora, passa a ser de R$ 63.

ISENTOS DA TAXA

Todos os estudantes da rede pública no último ano do ensino médio estarão automaticamente isentos. Além deles, podem obter isenção candidatos que comprovarem carência, segundo as regras do edital, que será publica na segunda-feira.

CARTÃO DE INSCRIÇÃO

Deixará de ser impresso e enviado pelos Correios. Terá que ser baixado ou consultado diretamente no site do Enem. O documento não precisa ser apresentado no exame.

DURAÇÃO DAS PROVAS

No primeiro dia, ciências humanas e ciências da natureza terão 4 horas e meia. No segundo dia, linguagens, matemática e redação terão 5 horas e meia de duração.

HORÁRIO DAS PROVAS

Os portões serão fechados às 13h (horário oficial de Brasília). Mas, agora, as provas só começam 30 minutos depois do fechamento dos portões.

SEGURANÇA

Só será possível usar o mesmo e-mail numa inscrição. Deverão constar ainda o número de telefone válido.

Originalmente matéria publicada no Jornal O Dia (http://odia.ig.com.br)

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *