Últimas

Governo venezuelano impede ex-presidentes de visitar opositores presos

Caracas, 30 Mai 2015 (AFP) – O governo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, impediu nesta sexta-feira que os ex-presidentes de Colômbia e Bolívia Andrés Pastrana e Jorge Quiroga, respectivamente, visitem os opositores presos Leopoldo López e Daniel Ceballos, que declararam greve de fome na prisão.

Após a decisão, Pastrana disse que “mais uma vez ficou claramente demonstrado que o que há na Venezuela é uma ditadura”, e que o mundo precisa “ver essas violações dos direitos humanos que acontecem aqui diariamente”.

Os ex-presidentes foram às prisões de 26 de Julio, em Guárico, e Ramo Verde, na região de Caracas, acompanhados por Patricia de Ceballos e Lilian Tintori – esposas dos dois opositores – para verificar o estado de saúde dos detidos após quase uma semana de greve de fome.

Mas um grupo de homens da Guarda Nacional impediu o acesso dos ex-presidentes, dos familiares dos detidos e da imprensa a Ramo Verde, onde López está preso.

Na prisão 26 de Julio – para a qual Ceballos foi transferido na semana passada -, apenas a esposa do opositor teve acesso permitido e por somente 15 minutos.

“Está muito magro. Deve ter perdido 6, ou 7 quilos, em condições de reclusão desumanas”, revelou Patricia de Ceballos sobre o marido.

O ex-presidente Jorge Quiroga fez uma “recomendação” a Maduro: “você terá de ir à cúpula (em junho) com a União Europeia, ao lado de irmãos da América Latina, e fará isso com presos em greve de fome, cujas vidas correm perigo, com eleições sem data, com a imprensa calada, para passar uma vergonha internacional”.

Quiroga convidou as presidentes Dilma Roussef, Cristina Fernández (Argentina) e Michelle Bachelet (Chile) para se manifestarem sobre a situação dos opositores presos na Venezuela.

López e Ceballos estão presos desde o primeiro trimestre de 2014 – quando foram deflagrados os protestos da oposição que terminaram com 43 mortos e centenas de feridos – sob a acusação de conspirarem contra o governo.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *