Últimas

Gravidez de risco: Conheça ações preventivas

Rio – Hoje, cerca de 10% das mulheres apresentam uma gravidez de risco e podem precisar ser internadas antes do parto. Com o intuito de aumentar a segurança das gestantes e possibilitar aos médicos um monitoramento de qualidade de suas pacientes, o Grupo Perinatal inaugurou a Unidade Semi-Intensiva de Tratamento Obstétrico, em Laranjeiras.

A Semi-Intensiva atende mulheres com complicações na gravidez e que necessitem de uma maior vigilância, especialmente obstétrica. Ameaça de parto prematuro e a ruptura prematura de membranas são algumas dessas principais complicações gestacionais, mas a assistência clínica geral também é disponibilizada nesse setor. O objetivo da unidade é criar um sistema de vigilância que atue na prevenção e redução de danos fetais e maternos.

Mulheres em gravidez de risco podem precisar ser internadas antes do parto, visando evitar por algum tempo uma interrupção prematura da gestação. Essa atitude é muitas vezes necessária para melhorar a qualidade de vida dos recém-nascidos. A partir de agora as grávidas nessas condições e seus obstetras podem contar com um sistema de vigilância e tratamento especializado com a participação ainda mais efetiva da equipe Perinatal.

Mantendo a ideia de oferecer à mulher um ambiente familiar, a grávida terá direito a acompanhante durante todo o tempo em que permanecer na semi-intensiva. “Todo esse aparato foi criado pensando na segurança da mulher e na praticidade de se ter por perto uma equipe de ponta sempre atenta”, comentou Roger Rohloff, gerente da UTI Materno-Fetal e da Unidade Semi-Intensiva do Grupo Perinatal.

A equipe é multidisciplinar e tem como política a redução de danos e como foco o tratamento das intercorrências mais frequentes na gestação. O acompanhamento do médico obstetra da paciente e a parceria firmada entre ele e a equipe Perinatal é a base para a obtenção dos melhores resultados. “A presença do olhar do clínico num ambiente totalmente coordenado por obstetras é o que faz a diferença.”, enfatizou Roger.

Originalmente matéria publicada no Jornal O Dia (http://odia.ig.com.br)

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *