Últimas

Jovem escocesa derrota chefe de campanha do Partido Trabalhista no R.Unido

Londres, 8 mai (EFE).- A jovem candidata do Partido Nacionalista Escocês (SNP) Mhairi Black, de apenas 20 anos, conquistou a vaga de deputada nas eleições do Reino Unido após a conclusão da apuração no distrito de Paisley, na madrugada desta sexta-feira, e derrotou um peso-pesado do Partido Trabalhista, o coordenador nacional de campanha Douglas Alexander.

Mhairi, que se transformará na deputada mais jovem do parlamento britânico desde 1667, obteve 23.548 votos, quase 5,6 mil a mais que o Partido Trabalhista, que possuía a cadeira nesse distrito.

O sistema eleitoral britânico, no qual apenas um deputado é eleito por distrito, propiciou que Alexander, que ocupou diversas pastas ministeriais nos Executivos dos primeiros-ministros Tony Blair e Gordon Brown, tenha perdido sua cadeira como parlamentar.

“O povo não está interessado em fatores estéticos como idade e gênero, mas na qualidade dos argumentos. Acho que o SNP está provando esta noite que oferecemos esses argumentos de qualidade”, disse a jovem escocesa.

Os maus resultados dos trabalhistas na Escócia, onde o partido deverá ser praticamente varrido pelo crescimento do SNP de acordo com as pesquisas, também se refletiram na derrota de Jim Murphy, líder da legenda na região, que acabou perdendo sua cadeira no distrito de Renfrewshire East para Kirsten Oswald, dos nacionalistas escoceses.

Segundo uma pesquisa de boca de urna divulgada no fechamento das zonas eleitorais, o Partido Nacionalista Escocês ficaria com 58 das 59 cadeiras escoceses na Câmara dos Comuns, um resultado histórico para o partido, que na atual legislatura tem apenas seis deputados.

Alex Salmond, ex-primeiro-ministro da Escócia e que também foi eleito hoje como deputado britânico pelo distrito de Gordon, afirmou que as pesquisas de boca de urna indicam que a Escócia vive um “tsunami eleitoral”.

“Não pode haver governo em Westminster (Londres), sob nenhuma composição, que possa ignorar o que está acontecendo na Escócia”, afirmou Salmond.

O nacionalista ressaltou que o crescimento do SNP é reflexo do referendo sobre a independência da Escócia, realizado em setembro do ano passado, no qual os partidários da união com o Reino Unido ganharam com 55% dos votos.

“Parte do que está ocorrendo na Escócia é resultado das maneiras trôpegas e arrogantes demonstradas pelo primeiro-ministro (David Cameron) no dia seguinte ao referendo”, afirmou Salmond.

Já o líder do SNP, Nicola Sturgeon, disse que “se Cameron for reeleito primeiro-ministro, será por causa da derrota dos trabalhistas na Inglaterra, não pelo que acontece na Escócia”.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *