Últimas

Leonardo DiCaprio restaura ilha em Belize para criar resort ecoturístico

Publicidade

No que poderá ser seu papel de maior impacto até hoje, o ator Leonardo DiCaprio, indicado para o Oscar por “O Lobo de Wall Street”, planeja curar uma ilha.

Um conhecido ativista ambiental, DiCaprio comprou Blackadore Caye, 42 hectares de terra natural em uma ilha desabitada no litoral de Belize, com um sócio, assim que pôs os pés no país, há cerca de uma década.

“Era como o paraíso na terra”, disse ele. “E quase imediatamente encontrei essa oportunidade de comprar uma ilha lá.”

Agora DiCaprio se associou a Paul Scialla, o executivo-chefe da construtora Delos, para criar um resort ecoturístico.

Quando for inaugurado, em 2018, Blackadore Caye, uma Ilha Restauradora, terá atrações de muitos balneários de luxo, com mansões enormes, piscinas “infinity” e pores-do-sol incríveis.

Mas o “Restauradora” se refere ao impacto que o resort poderá ter não só sobre os hóspedes, mas também para a própria ilha.

Blackadore Caye sofreu com o excesso de pesca, erosão e desmatamento dos manguezais, e os sócios do resort pretendem devolvê-la à melhor forma.

A ilhota de coral é usada há centenas de anos, segundo Juan Rovalo, biólogo que chefia cientistas que estudam o local.

Era um ponto preferido dos pescadores, que paravam a caminho dos mercados no México para cortar mangue, usando a madeira para defumar o pescado e os moluscos que retiravam do recife de corais, enchendo a ilha de conchas vazias.

Mais recentemente, disse ele, as palmeiras que recobriam a ilha foram arrancadas para decorar hotéis em San Pedro, a 15 minutos de barco dali.

As mansões em Blackadore Caye serão feitas sobre um deck que se estende em arco sobre a água, com recifes artificiais e abrigos para peixes embaixo.

Um berçário vai cultivar ervas marinhas para sustentar uma área de conservação de peixes-bois, e os manguezais irão substituir espécies invasoras.

Uma equipe de designers, cientistas, engenheiros e paisagistas, alguns dos quais passaram 18 meses estudando Blackadore Caye, monitorará o impacto do resort sobre o entorno.

“O enfoque principal é fazer algo que mude o mundo”, disse DiCaprio. “Eu não teria ido para Belize, construído em uma ilha e feito algo parecido se não fosse pela ideia de que poderia ser revolucionário no movimento ambientalista.”

DiCaprio comprou Blackadore Caye por US$ 1,75 milhão (R$ 5,07 milhão) com Jeff Gram, dono da Cayo Espanto Island Resort, um local de férias de luxo em outra ilha em Belize. DiCaprio disse que levou dez anos para encontrar o sócio certo.

Ele foi um dos primeiros investidores na Delos e faz parte do conselho consultivo, juntamente com Deepak Chopra, o guru do autoconhecimento; Richard A. Gephardt, ex-deputado do Missouri; e médicos da Clínica Mayo e da Clínica Cleveland.

Segundo o Centro para Viagens Responsáveis, 8 milhões de pessoas vão a ecoresorts de todo o mundo por ano e a demanda segue crescendo. Mas não se sabe se realmente funciona.

“Nenhum hotel pode ser realmente sustentável, porque você tem de voar para chegar lá. O que as pessoas estão comprando é o status de ficar em um resort exclusivo”, disse Jan H. Katz, professor na Escola de Hotelaria Cornell em Ithaca, Nova York.

DiCaprio enxerga de outro modo. “Meu objetivo sempre foi criar algo não só ambiental, mas restaurador. Uma vitrine do que é possível.”

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *