Últimas

Maior traficante Deep Web é condenado à prisão perpétua

Ross Ulbricht, conhecido pelo seu pseudônimo “Dread Pirate Roberts”, passará o restante de sua vida dentro de uma prisão. Ele criou e manteve o site Silk Road, o principal ponto de venda de drogas na Deep Web há algum tempo, e finalmente teve sua pena definida pela justiça dos Estados Unidos, que o havia julgado culpado em fevereiro.

Agora com 31 anos, ele, junto de mais uma pequena equipe, manteve entre 2011 e 2013 o site funcionando na rede anônima. Ele foi preso em outubro de 2013, e o site foi fechado desde então, apesar de outras pessoas já terem recriado a Silk Road 2.0 e outras páginas similares.

Durante a audiência que definiu sua pena, Ulbricht pediu por uma pena mais branda, dizendo estar arrependido de seus atos. “Gostaria de poder voltar atrás e me convencer a tomar um caminho diferente”, disse ele. Em carta, ele também tentou pedir à justiça que lhe “poupasse a velhice”, para que pudesse retomar a vida em sociedade, ainda que na terceira idade, para ter alguma esperança de não passar o resto da vida atrás das grades.

Mas claramente não foi o bastante. Ross Ulbricht foi considerado culpado do crime de ser um “chefão das drogas” que, por si só, traz uma pena mínima de 20 anos. Ele também foi considerado culpado por lavagem de dinheiro, facilitação de venda de identidades falsas e ferramentas para hackear computadores. O governo, por sua vez, pediu uma pena “substancialmente maior que o mínimo” de 20 anos. A soma de tudo isso resultou na pena perpétua.

As investigações contra Ulbricht também revelaram várias encomendas de assassinatos, que foram citadas no julgamento, mas não fazem parte de sua pena. Os registros de conversas encontrados em seu computador mostra que ele pagou cerca de US$ 750 mil para que matadores de aluguel eliminassem cinco pessoas. No entanto, nunca foi provado que realmente houve qualquer crime do tipo (há a chance muito grande de Ulbricht ter sido ludibriado), e as acusações ainda estão pendentes.

Seus advogados tentaram convencer a justiça de que ele apenas foi um bode expiatório da Silk Road e tentaram imputar a culpa em outras pessoas, o que obviamente não colou. A família de Ulbricht ainda afirma que ele é inocente, e promete recorrer contra o veredicto de culpado.

Via Ars Technica 

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *