Últimas

'Não foi uma vitória do governo', diz Cardozo sobre aprovação de Fachin

Publicidade

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse à Folha que a aprovação do jurista Luiz Edson Fachin como ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) “não foi uma vitória do governo, mas uma vitória da sociedade brasileira, que elegeu um grande jurista para a principal corte judiciária do país”.

O Senado aprovou nesta terça-feira (19) a indicação de Fachin por 52 votos a favor, 27 votos contra e nenhuma abstenção.

Nas últimas semanas, o Palácio do Planalto se empenhou para que a indicação do jurista fosse aprovada pelos senadores, enquanto parlamentares da oposição faziam forte campanha contra a ida de Fachin para o STF.

Segundo Cardozo, “houve um reconhecimento do Senado a um jurista de grande densidade acadêmica, uma pessoa de reputação ilibada e inquestionável”. “É um grande nome para a Corte Suprema do Brasil”, completou o ministro.

A própria presidente Dilma Rousseff assumiu a articulação pró-Fachin pessoalmente na semana passada, quando chamou o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para uma conversa sobre o assunto. Dilma tinha medo que sua indicação fosse barrada no plenário do Senado já que, nos bastidores, Renan fazia campanha contra Fachin.

Para ter o nome aprovado, o jurista precisava do voto favorável de 41 senadores. Fachin ocupará a vaga aberta pela saída do ex-ministro Joaquim Barbosa, em 2014.

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *