Os livros, seriados e filmes que todo nerd deveria conhecer

Feliz Dia da Toalha! Feliz aniversário do lançamento de Star Wars! Feliz dia do Orgulho Nerd, caros leitores. O dia 25 de maio marca uma confluência de datas que, quando unidas, dão origem às festividades da celebração da cultura geek.

Abaixo, listamos algumas das obras mais relevantes para a cultura nerd, abrangendo filmes, seriados e livros. Sempre há a possibilidade de termos esquecidos alguns itens, mas você é bem-vindo a deixar alguma sugestão nos comentários!

Os essenciais:

Reprodução 

Star Wars
Não é preciso explicar Star Wars, né? Um dos maiores marcos da cultura pop, Star Wars é obrigatório para quem quer mergulhar no mundo geek. A saga teve seus pontos baixos (os episódios I, II e III), mas o otimismo para o sétimo filme está lá no alto. Além dos filmes, há um extenso material sobre o “universo expandido”, em quase todas as mídias, incluindo desenhos animados, livros, jogos.

Star Trek
Para quem considera Star Wars mais fantasia e aventura do que ficção científica, existe Star Trek, outro pilar da cultura geek moderna. Com início nos anos 1960, a franquia já foi seriado de TV, filme, livro, quadrinhos, jogos e até hoje movimenta uma legião de fãs, os trekkies.

Harry Potter
Além dos sete livros, extremamente populares, há oito filmes também altamente populares. Se, por um acaso, você perdeu o bonde de Harry Potter, você tem pela frente dias (ou semanas) de entretenimento, se optar por ler e assistir tudo relacionado à obra. Quem sabe a autora não resolve lançar algum livro novo no futuro? É uma possibilidade.

Senhor dos Aneis
Á série de livros já é bastante antiga e extremamente popular e viu um novo sopro de vida no início da década passada com a adaptação para o cinema. Diferente de Harry Potter, seus filmes nunca tiveram um tom infanto-juvenil, o que colaborou para que eles também fossem sucesso de crítica, ganhando até mesmo Oscar. Há ainda o livro e os filmes de O Hobbit, que complementam a franquia. Algum dia surgirá um filme do Silmarillion? As chances são poucas, mas a esperança é a última que morre.

Livros

Reprodução 

O Guia do Mochileiro das Galáxias – Referência no humor britânico, parodiando a humanidade ao mesmo tempo em que leva os protagonistas a viver as situações mais absurdas e engraçadas em diversas partes do universo graças ao Gerador de Improbabilidade Infinita. Graças ao livro há o Dia da Toalha, celebrado no dia 25 de maio, que é parte da celebração do Dia do Orgulho Nerd.

As Crônicas de Gelo e Fogo (Game of Thrones) – O seriado mais popular do momento veio da série de livros de George R. R. Martin. Todas as reviravoltas, as tramas, as mortes, a violência, o sexo, e tudo mais que é mostrado nos domingos pela HBO passaram antes pelas páginas do livro. Algum dia a série se tornará independente, no entanto, mas até lá, ler o livro é a melhor forma de saber o que acontecerá na TV.

Tudo de Isaac Asimov – Asimov é provavelmente a maior referência em literatura de ficção científica, principalmente pelo envolvimento com a robótica, com destaque para a série da Fundação (a trilogia original e mais quatro livros lançados posteriormente) e vários outros contos, como “Eu, Robô”. Suas previsões sobre o futuro são impressionantemente precisas.

Phillip K. Dick – Outro destaque da ficção científica literária, o seu grande destaque é o livro “Androides Sonham Com Ovelhas Elétricas?” (lançado no Brasil no passado com o nome “O caçador de androides”), que deu origem ao filme Blade Runner. Entre livros e contos há ainda destaques importantes como “O Vingador do Futuro” e “Minority Report”

Bernard Cornwell – Saindo da ficção científica e entrando em romances históricos, com um pé na fantasia medieval, a obra de Cornwell é um prato cheio para quem gosta deste tipo de material, com destaque para “As Crônicas de Artur” e “As Crônicas Saxônicas”.

Jogador número 1 – “Ready Player One”, escrito por Ernest Cline, conta a história de um futuro no qual as pessoas se conectam a um mundo de realidade virtual chamado OASIS. Quando seu criador morre, as pessoas descobrem que ele deixou escondido um “easter egg”; quem encontrá-lo poderá ter acesso a toda a sua fortuna. Toda a busca por este prêmio é recheada de referências a games e à cultura pop oitentista.

Seriados

Reprodução 

Game of Thrones – Não precisa de descrição (e já falamos sobre ele na parte de livros), mas vale a pena repetir. O seriado incrível mostra toda a violência, intrigas, traições e manobras políticas por trás da disputa de poder naquele mundo fantástico.

Doctor Who – Dos anos 1960 até hoje, Doctor Who tem uma legião de fãs de todas as idades, que embarcaram na caixa policial azul que viaja no tempo-espaço, a famosa TARDIS, e acompanharam as aventuras de um alienígena humanoide, que já teve mais de uma dezena de rostos diferentes, com mais de 1 milênio de idade por todos os cantos do universo.

Monty Python’s Flying Circus – Um dos maiores humorísticos da história, com um grupo de 6 atores e escritores que tiveram uma liberdade absurda para experimentar com um novo (para a época) tipo de comédia, que beira o absurdo e o irritante na maior parte do tempo. Algumas esquetes, como a da “Piada Mais Engraçada do Mundo” sobrevive até hoje fazendo sucesso no YouTube.

Mythbusters – Além de testar a veracidade de vários mitos urbanos e ditados populares, os Mythbusters também costumam atestar a plausibilidade de diversos momentos icônicos da cultura pop. Além de interessante, o programa é um show visual, com a quantidade absurda de explosões por episódio.

Cosmos – Há dois momentos na história de “Cosmos”. A primeira geração (“A Personal Voyage”), escrita e narrada por Carl Sagan nos anos 1980, é uma incrível porta de entrada para o mundo da ciência, com explicações profundas e interessantes sobre o universo. Recentemente, o programa de TV foi revivido com o cientista Neil DeGrasse Tyson, mas com um novo nome (“A Spacetime Odyssey”).

The Big Bang Theory – O seriado que retrata basicamente todo o universo nerd/geek, abrangendo quadrinhos, filmes, seriados, mas, mais importante para esta lista, também contempla os universos de jogos, tecnologia como robótica e produtos tecnológicos mais comuns do cotidiano e ciência, abordando assuntos relacionados a física, matemática e astronomia. Tudo com curadoria de profissionais para não insultar os verdadeiros conhecedores das áreas.

IT Crowd – IT Crowd é um humor britânico, muitas vezes beirando o non-sense, que reflete a vida de profissionais de tecnologia da informação. Os personagens se veem em situações comuns no suporte ao usuário comum, muitas vezes sem conhecimento algum de como interagir com um computador.

Silicon Valley – O seriado se passa, como o próprio nome diz, no ambiente fervilhante das startups do Vale do Silício, com inúmeras microempresas de tecnologia surgindo todos os dias com a promessa de “tornar o mundo um lugar melhor”, o que o programa faz questão de ironizar sempre que possível. O seriado acompanha a trajetória de um jovem introvertido, mas genial, na tentativa de emplacar seu software de compressão de dados.

Black Mirror – Fugindo do humor, Black Mirror é um seriado britânico que analisa a tecnologia sob seu viés mais sombrio, perigoso e como a natureza humana é afetada. Os episódios são curtos, mas sempre vão direto ao ponto, criticando a superexposição de alguns assuntos apenas pelo bizarro enquanto coisas realmente importantes acontecem e como a internet e redes sociais alavancam esta situação, ou um futuro distópico onde a tecnologia está presente em literalmente cada parte do cotidiano, com resultados bastante degradantes.

Filmes

Reprodução

A Vingança dos Nerds – Ok, vamos admitir: o filme não envelheceu muito bem e perdeu bastante da qualidade com o passar dos anos, mas ainda é uma referência. A comédia dos anos 1980 foi uma das primeiras a retratar o “nerd” como um protagonista.

Monty Python – Já falamos sobre Monty Python nos seriados, e o mesmo vale aqui. O grupo também é responsável por filmes incríveis de comédia como “A Vida de Brian” e “Monty Python em Busca do Cálice Sagrado”, que são consideradas como duas das melhores comédias da história.

Tron – Em um passado remoto, a humanidade já imaginou como seria um mundo dentro dos computadores. Neste contexto surgiu Tron, filme no qual um programador se vê transportado para dentro de um jogo digital no qual precisa vencer para conseguir sair. As fantasias cheias de Neon são um destaque à parte.

Hackers – Observar filmes dos anos 1990 sobre tecnologia é sempre interessante e engraçado. Este filme, estrelado por Angelina Jolie antes de a atriz se tornar uma superestrela de Hollywood, é um bom exemplo disso. Criado numa época em que a internet ainda era algo misterioso para quase todo o mundo, mostra o processo de hackear algum servidor como se fosse um videogame, entre vários erros básicos. Com o tempo e a ampliação do conhecimento básico sobre computadores, o filme ficou tão defasado que acabou se tornando um clássico cult da década passada. Vale dar uma olhada, porque ao menos não mostrava quem tinha familiaridade com computadores como “perdedores”, como muitos filmes da época.

Matrix – Não foi o primeiro filme a mostrar um futuro onde as máquinas se levantam e dominam a humanidade, mas conseguiu fazer de uma forma diferente, criando um mundo alternativo onde os humanos vivem em uma falsa realidade. Há aqueles que sentem que é errado fugir da realidade horrível em que a humanidade está presa, enquanto outros irão lutar para manter a simulação funcionando.

Piratas do Vale do Silício – Em um dos maiores clássicos da década de 1999, é possível entender um pouco sobre o nascimento e a rivalidade histórica entre Apple e Microsoft, ao mesmo tempo que apresentam o crescimento e popularização da computação pessoal como resultado desta competição. Vale muito a pena se você tem interesse na história (ligeiramente romantizada e modificada) da computação.

Alien – Mais um dos clássicos do cinema, misturando ficção científica e terror, colocando uma tripulação espacial para enfrentar uma criatura alienígena altamente agressiva, que se infiltrou na nave Nostromo discretamente quando a equipe recebeu um pedido de socorro de um planeta desconhecido.  

O Exterminador do Futuro – A Skynet, por incrível que pareça, ainda é um medo real de muita gente, graças a esta série de filmes. Graças à obra, a inteligência artificial ganhou uma fama bem ruim, que seria capaz de destruir a humanidade para evitar que a humanidade se destrua. Pelo menos na ficção a humanidade tinha o Arnold Schwarzenegger como protetor (a partir do segundo filme).

Blade Runner – Baseado no livro “Androides Sonham Com Ovelhas Elétricas?” de Philip K. Dick, Blade Runner conta a história de um futuro distópico no qual existem os replicantes, seres criados artificialmente e geneticamente alterados indistinguíveis de humanos adultos. Eles são caçados pelos Blade Runners, uma força policial criada para eliminá-los após um motim que baniu a presença dos replicantes na Terra.

http://www.themarysue.com/wp-content/uploads/2015/04/Mr-Spock-mr-spock-10874060-1036-730.jpg
Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *