Últimas

Paes teme maiores engarrafamentos com pedágio barato na Ponte Rio-Niterói

Rio – “A cidade não comporta mais automóveis. A melhor alternativa é a barca. Carro é sempre inimigo dos municípios.” A afirmação é do prefeito do Rio, Eduardo Paes, que teme pelo aumento do fluxo de veículos saindo de Niterói em direção à Capital. A preocupação se dá por conta da diminuição do preço do pedágio na Ponte Rio-Niterói, que hoje passa de R$5,20 para R$ 3,70.

A projeção da nova concessionária (EcoPonte) é a de que haja um aumento de 1,6% no volume de tráfego na Ponte. Atualmente, passam pela via cerca 150 mil veículos diariamente. Ou seja, num primeiro momento, serão mais 2.400 carros oriundos das terras de Araribóia.


Três grandes obras serão realizadas nos acessos à Ponte Rio-Niterói

Foto:  Divulgação / CCR Ponte

O diretor-superintendente da EcoPonte, Alberto Luiz Lodi, destacou que a concessionária fará três importantes obras para melhorar o tráfego. A primeira será o mergulhão da Praça Renascença, que será construído no acesso à Ponte pela Avenida Feliciano Sodré, no Centro de Niterói. A previsão de início será julho do ano que vem. As licenças municipais e estaduais já estão sendo analisadas e deverão sair nos próximos meses.

“Em 2017, começaremos a construir a alça de acesso com a Linha Vermelha na pista sentido Rio e a implementação da Avenida Portuária, para desafogar o acesso de veículos de carga pela Avenida Brasil”, adiantou.

Lodi conta ainda que a EcoPonte vai diminuir gastos graças à sinergia com outros negócios do grupo e utilização de centros de serviços compartilhados. Com isso, cerca de 30% dos colaboradores da antiga concessionária (CCR) deixarão os quadros operacionais.

Outra novidade será a conta do twitter. Pelo @_ecoponte, os usuários poderão ter informações sobre as condições de tráfego, além de obras e demais intervenções. O telefone é 0800-7776683 e 0800- 7776684 (para deficientes auditivos).

Para agilizar o trânsito na Praça do Pedágio, local de maior retenção na via, haverá aumento de 14 para 16 faixas de veículos automotivos e uma para motocicletas. Somente esta obra vai representar cerca de 20% de ganho na capacidade viária.

CONFIRA OS PREÇOS

O pedágio para caminhonetes e furgões de rodagem simples será o mesmo cobrado para automóveis. Condutores de motocicletas passarão a pagar R$ 1,85, em vez dos atuais R$ 2,60. Caminhão leve, ônibus, caminhão-trator e furgão de rodagem dupla terão tarifa de R$ 7,40. O valor para automóveis e caminhonetes com semirreboque de rodagem simples será de R$ 5,55. O preço mais alto, de R$ 22,20, é para caminhão com reboque e caminhão-trator com semirreboque.

Originalmente matéria publicada no Jornal O Dia (http://odia.ig.com.br)

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *