Últimas

Partido do presidente Bouterse protesta por resultados eleitorais no Suriname

Paramaribo, Suriname, 31 Mai 2015 (AFP) – O governista Partido Nacional Democrático (NDP, na sigla em inglês), do Suriname, liderado pelo presidente Desi Bouterse, questiona os resultados eleitorais no distrito de Paramaribo, destacou neste sábado, em coletiva de imprensa, o porta-voz da organização política, Winston Lackin.

“Houve uma malversação”, disse o porta-voz em coletiva de imprensa. Uma recontagem dos votos será realizada em 20 circuitos da capital neste domingo.

Segundo resultados extraoficiais, as eleições parlamentares feitas na segunda-feira passada deram a vitória à situação por uma margem muito estreita. O NDP obteve 26 cadeiras de um total de 51.

Nove cadeiras o NDP conquistou em Paramaribo, o maior distrito eleitoral do país.

O principal partido de oposição, o V7, obteve 18 assentos, enquanto a coalizão Combinação Alternativa conseguiu 5 e outros dois partidos menores conquistaram uma cadeira cada um.

O NDP protestou perante as autoridades eleitorais por irregularidades que seus delegados teriam constatado nos 270 circuitos da capital. Lackin assegurou que se todos os fotos forem recontados, seu partido obteria uma cadeira suplementar.

O líder do V7, Chan Santokhi, protestou contra a realização da recontagem, ao considerar que o NDP pretende “inventar histórias” de fraude para conseguir uma maior quantidade de cadeiras por Paramaribo.

Bouterse deveria reunir outras oito cadeiras para garantir sua própria reeleição, já que o presidente é nomeado pelos dois terços dos parlamentares.

O NDP comemorou sua vitória na terça-feira e o presidente anunciou que formaria um novo governo integrado por “pessoas honestas”.

Até agora, só os dois partidos menores, DOE e PALU, expressaram seu apoio a uma nova administração de Bouterse e a sua reeleição.

Aos 69 anos, Bouterse assumiu o poder em 1980, quando sendo sargento, deu um golpe de Estado e governou de forma intermitente. Em 2010, conseguiu ser eleito presidente democraticamente.

Figura controversa, tomou o poder desta ex-colônia primeiro britânica e depois holandesa, cinco anos depois de que obtivesse sua independência em 1975.

Ele instaurou uma ditadura militar, chefiou o país até 1987, antes de comandar um segundo golpe em 1990 para um curto retorno ao poder até 1991.

Em 1982, sufocou duas tentativas de tirá-lo do poder e executou 15 opositores, um fato que passou para a História como “os assassinatos de dezembro”.

Em junho de 2000, foi condenado na Holanda a 11 anos de prisão por tráfico de cocaína. Procurado pela Interpol, sua eleição como presidente, em 2010, lhe deu imunidade.

Mas tudo isso não impede Bouterse gozar de uma importante popularidade, fruto de seus programas de bem-estar social, educação universitária gratuita e construção de escolas e moradias.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *