Últimas

Preconceito racial, EUA x Alemanha nazista, 'roubo' e mordida na orelha; veja 10 super lutas da história do boxe

Publicidade

A luta entre Floyd Mayweather Jr. e Manny Pacquiao, pela unificação dos títulos dos meio-médios, quebra todos os recordes de faturamento na história do boxe. São US$ 300 milhões apenas de bolsa para os dois pugilistas.

Antes desse confronto, veja outras dez super lutas da história do pugilismo.

A primeira super luta da história do boxe transcendeu o esporte. Campeão mundial dos pesados, Jack Johnson foi o primeiro ídolo esportivo negro nos Estados Unidos. Em uma era em que a divisão racial no país era forte, o ex-campeão Jim Jeffreys voltou aos ringues carregando o manto de “A Grande Esperança Branca”. Dentro do ringue, Johnson dominou do começo ao fim e nocauteou o rival no 15º assalto, levando milhões de negros às ruas das cidades norte-americanas.

22.jun.1938 – Associated Press
Joe Louis derruba o alemão Max Schmeling no primeiro assalto, em luta disputada no Yankee Stadium
Joe Louis derruba o alemão Max Schmeling no primeiro assalto, em luta disputada no Yankee Stadium

O alemão Max Schmeling derrotou o norte-americano Joe Louis para levar o cinturão dos pesados à Alemanha nazista, em 1936. Dois anos mais tarde, mais de 70 mil pessoas –incluindo estrelas do cinema, como Clark Gable e Gregory Pack–assistiram a revanche em Nova York. Louis destruiu o rival e recuperou o orgulho nacional dos Estados Unidos. Fora dos ringues, os dois lutadores ignoraram a rivalidade entre os dois países e se tornaram grandes amigos.

8.mar.1971 – Associated Press
Joe Frazier retorna para seu corner após derrubar Muhammad Ali no 15º assalto
Joe Frazier retorna para seu corner após derrubar Muhammad Ali no 15º assalto

Invicto e no auge da forma, Muhammad Ali perdeu o título mundial ao se recusar a lutar na guerra do Vietnã. Enquanto isso, o ascendente Joe Frazier bateu os rivais para se tornar o novo campeão dos pesados. Em 1971, os dois se enfrentaram pela primeira vez em um duelo de invictos. Em uma luta equilibrada, Frazier levou a melhor ao encurtar a distância e não permitir a Ali mostrar a sua técnica superior. Os dois se tornaram inimigos dentro e fora dos ringues, onde se enfrentaram ainda em 1974 e 1975, com duas vitórias de Ali.

30.out.1974 – Associated Press
Muhammad Ali observa George Foreman na lona, durante o oitavo assalto, em luta no Zaire
Muhammad Ali observa George Foreman na lona, durante o oitavo assalto, em luta no Zaire

Joe Frazier perdeu o cinturão para George Foreman em 1973. Considerado invencível na época, o campeão subiu ao ringue para encarar Muhammad Ali, em luta realizada no Zaire. Mais móvel, o ex-campeão dominou os primeiros assaltos, mas mudou a tática a partir do quinto. Escorado nas cordas, ele atraiu Foreman e nos contra-ataques derrubou o rival. Visto como decadente após a derrota para Frazier, Ali retomou o protagonismo do boxe mundial.

Sem novos ídolos, a categoria dos pesados perdeu popularidade. Foi a chance para o sorridente campeão dos meio-médios, Sugar Ray Leonard, se tornar a principal figura do boxe mundial. Em 1980, o norte-americano enfrentou o panamenho Roberto Durán, dono de um cartel com 72 vitórias e apenas uma derrota, na luta mais lucrativa até então. Com um estilo aguerrido, o desafiante surpreendeu Leonard e venceu por pontos. Na revanche, meses depois, Leonard deu o troco. No tira-teima, em 1989, nova vitória do lutador dos Estados Unidos.

O melhor assalto da história do boxe. Assim a luta entre os norte-americanos Marvin Hagler e Thomas Hearns pelo títulos dos médios é lembrada pelos fãs. Com estilos agressivos, os dois pugilistas trocaram socos no primeiro assalto em ritmo alucinante, levantando o público. Nesse ritmo, o combate não poderia ir longe. No terceiro assalto, o campeão Hagler mandou Hearns à lona. O desafiante até levantou, mas o árbitro encerrou a luta.

Poucas vezes dois pugilistas nutriram tanta antipatia entre si como no combate entre os médios britânicos Chris Eubank e Nigel Benn. Em 1990, os dois lutadores trocaram insultos pessoais por meses antes do combate em Birmingham. Os promotores do campeão Benn chegaram até a sabotar a música de entrada de Eubank. Após o gongo soar, a troca feroz de socos durou nove assaltos, quando o árbitro interrompeu a luta em favor de Eubank. A luta se tornou um clássico e chegou até mesmo a ser lançada em DVD. Três anos depois, a revanche terminou empatada na unificação do título dos super médios.

Daniel Aguilar – 19.jul.2000/Reuters
Julio César Chávez posa para fotógrafos durante treinamentos
Julio César Chávez posa para fotógrafos durante treinamentos

Com 87 vitórias em 87 lutas, o mexicano Julio César Chávez era o dono da categoria dos super-leves. Entretanto, ele decidiu subir para a categoria dos meio-médios para enfrentar o campeão Pernell Whitaker. Na luta, Chávez mostrou dificuldades para enfrentar a força e a envergadura superior do rival. Na avaliação dos jurados, o resultado foi empate. “Roubado!” foi a manchete de capa da revista Sports Illustrated, em alusão ao nítido favorecimento ao mexicano.

Jack Smith – 28.jun.1997/Associated Press
Mike Tyson morda a orelha de Evander Holyfield na revanche entre os dois pugilistas
Mike Tyson morda a orelha de Evander Holyfield na revanche entre os dois pugilistas

Na última mega luta dos pesos pesados, o campeão Mike Tyson enfrentou Evander Holyfield. O combate, aguardado para 1991, só aconteceu em 1996, após Tyson ser condenado à prisão por estupro. Já sem o mesmo estilo demolidor do começo da carreira, o campeão foi desmantelado pelas táticas do desafiante. A luta foi interrompida pelo árbitro no 11º assalto, com Tyson grogue nas cordas. No ano seguinte, Holyfield venceu a revanche, na luta lembrada pelo mordida de Tyson em sua orelha.

Hector Mata – 18.set.1999/AFP
Oscar De La Hoya acerta um direto de esquerda no rosto de Félix Trinidad
Oscar De La Hoya acerta um direto de esquerda no rosto de Félix Trinidad

Batizada de “luta do milênio, esse combate reuniu dois lutadores porto-riquenhos campeões invictos. A luta gerou 1,4 milhão de vendas no pay-per-view nos Estados Unidos, um recorde para lutas fora dos pesos pesados, e valia a unificação dos meio-médios. Cercada por histeria, a luta decepcionou os fãs do boxe. Oscar De La Hoya vencia por pontos após oito assaltos, mas uma orientação equivocada do seu técnico fez com que ele abandonasse a iniciativa. A punição demorou, mas veio no placar dos jurados: triunfo de Félix Trinidad.

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *