Últimas

Público feminino é maioria em buscas por imóveis na internet


13/05/2015

19h53



<!–

Publicidade

 

–>



MARINA ESTARQUE
DE SÃO PAULO

As mulheres são mais detalhistas e fazem pesquisas mais amplas na hora de comprar um imóvel, segundo levantamento do portal imobiliário VivaReal. O público feminino representa 63% das buscas no site.

“Se a compra é feita por um casal, a mulher faz a maior parte do processo e o homem entra no fim. Ele participa, porque é uma decisão de família, mas as mulheres passam mais tempo no site e olham mais páginas, porque gostam de ver mais opções”, explica Rodrigo Iannuzzi, vice-presidente de produto.

Os dados foram apresentados na segunda edição do Conecta Imobi, evento voltado para o mercado imobiliário, realizado entre terça (12) e quarta-feira (13) em São Paulo.

De acordo com a pesquisa, a segurança 24 horas é a característica mais valorizada para a compra de um imóvel, seguida da possibilidade de ter animais de estimação e vaga na garagem. Piscina, academia e serviço de faxina ficaram atrás, quase empatados.

“Foi uma surpresa para nós descobrir que a piscina importa quase tanto quanto a faxina, que raramente é oferecida pelos condomínios. Esse serviço costuma existir apenas em flats. Entretanto, 16% dos consumidores consideram isso relevante para a compra”, diz Iannuzzi.

Os jovens entre 25 e 34 anos representam boa parte das buscas (40%). “Eles usam mais a Internet para compras. É o público que está saindo da casa dos pais e procura o primeiro imóvel”.

Compra e venda

A maior parte das pessoas preferem a compra e não o aluguel. Apesar disso, a oferta de imóveis para a venda é maior do que para aluguel, o que faz com que este tipo de negócio seja fechado mais rápido –inclusive por ser uma transação menos burocrática e mais de curto prazo.

“Com a mudança das regras de financiamento pela Caixa Econômica Federal, a tendência é que diminua a compra e aumente a busca por aluguel”, avisa Iannuzzi.

Esse descompasso entre oferta e demanda se nota também no tamanho e preço das propriedades. Apenas 30% dos anúncios é de imóveis abaixo de R$ 350 mil. Enquanto 60% dos consumidores quer realizar uma compra com preço inferior.

O mesmo vale para o número de quartos e a metragem do imóvel. “Há muita oferta de tamanhos grandes, mas pouca demanda. Esse é um cenário que os novos lançamentos estão tentando resolver, apostando cada vez em de estúdios e apartamentos de um quarto.”

Celular e vídeo

O número de buscas por dispositivos móveis crescem rapidamente, atingindo 37% das visitas ao site. Há dois anos representava apenas 10%. A VivaReal estima que, em três anos, os acessos por celular vão ultrapassar os realizados através do computador, chegando a 70%.

O aumento do uso mobile também foi destacado na palestra do executivo do Setor Imobiliário do Google, Igor Lima.

“A navegação das pessoas na Internet vai ser através daquela tela menor. As pesquisas são cada vez mais realizadas na rua, pelo celular, então a geolocalização será muito importante”, explica Lima.

Ele ressalta também o papel crescente dos vídeos no mercado imobiliário. Segundo o Google, 64% das pessoas interessadas em comprar um imóvel usam o Youtube para ter mais informações.

“É a segunda ferramenta de busca imobiliária, após o Google. O brasileiro nasce com uma televisão em casa e a nossa criação é muito visual. Quando a gente vai tomar uma decisão séria, como comprar um imóvel, queremos ver vídeos de uma unidade decorada, por exemplo. Ou do bairro, mostrando os restaurantes e espaços de lazer disponíveis”, explica Lima.


+ Livraria





Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *