Remanescentes de 2014 lutam para provar que merecem lugar no Palmeiras

Do time titular do Palmeiras que estreia no  Brasileirão neste sábado, diante do Atlético-MG, apenas Fernando Prass e Valdívia estavam no elenco do ano passado; as outras nove posições são ocupadas por um dos 20 reforços contratados pelo alviverde no início da temporada.

A situação ilustra uma realidade: com exceção do camisa 10 e do goleiro, praticamente todos os remanescentes da temporada passada perderam espaço. Se o alviverde entra no campeonato com aspirações de título, os jogadores que permaneceram do ano passado terão que lutar para encontrar suas vagas.

Começando pela defesa, o argentino Tobio começou o Paulistão como titular; se lesionou, perdeu a posição e começa a o Brasileirão como opção no banco de reservas. O zagueiro Wellington atuou apenas diante do Corinthians, na lateral esquerda – foi seguro, mas não teve mais oportunidades.

Para a lateral esquerda, aliás, o Palmeiras trouxe Zé Roberto e João Paulo; o segundo sofreu uma contusão e Egídio acabou contratado. Victor Luis, um dos destaques em 2014, terá que lutar muito se quiser brigar por uma vaga no time.

O volante Renato também precisa recuperar seu espaço: jogou apenas oito jogos em 2015, três deles como reserva. Quando perde Gabriel ou Arouca, seus volantes titulares, Oswaldo de Oliveira têm optado por escalar Robinho.

Mouche e Allione sofreram lesões e acabaram perdendo muitas partidas. O primeiro, atacante, deve estar de volta aos gramados em cerca de dois meses; o segundo começou o Paulistão como titular, mas parou para operar o joelho e perdeu a vaga. Quando voltar, vai brigar com Rafael Marques, que foi artilheiro do time no estadual.

O caso de Cristaldo é similar ao dos companheiros argentinos: começou o ano como dono do comando do ataque mas perdeu o lugar para Leandro Pereira na fase decisiva; seu substituto fez gols decisivos nas quartas-de-final e na primeira partida da final. Leandro é outro que volta de uma lesão grave e precisa convencer Oswaldo de Oliveira a aproveitá-lo – o treinador quer vê-lo em ação antes de liberá-lo para um possível empréstimo

A situação mais extrema é a do zagueiro Nathan: depois de despontar como revelação em 2014, praticamente desapareceu do time neste ano.Com Oswaldo, não é nem a quarta opção para a defesa.

É muito provável que, ao término do Brasileiro, alguns desses jogadores não estejam vestindo a camisa alviverde. Isso começa a ser decidido nesse sábado, às 18h30, no Allianz Parque.Remanescentes de 2014 lutam para provar que merecem lugar no Palmeiras

Do time titular do Palmeiras que estreia no  Brasileirão neste sábado, diante do Atlético-MG, apenas Fernando Prass e Valdívia estavam no elenco do ano passado; as outras nove posições são ocupadas por um dos 20 reforços contratados pelo alviverde no início da temporada.

A situação ilustra uma realidade: com exceção do camisa 10 e do goleiro, praticamente todos os remanescentes da temporada passada perderam espaço. Se o alviverde entra no campeonato com aspirações de título, os jogadores que permaneceram do ano passado terão que lutar para encontrar suas vagas.

Começando pela defesa, o argentino Tobio começou o Paulistão como titular; se lesionou, perdeu a posição e começa a o Brasileirão como opção no banco de reservas. O zagueiro Wellington atuou apenas diante do Corinthians, na lateral esquerda – foi seguro, mas não teve mais oportunidades.

Para a lateral esquerda, aliás, o Palmeiras trouxe Zé Roberto e João Paulo; o segundo sofreu uma contusão e Egídio acabou contratado. Victor Luis, um dos destaques em 2014, terá que lutar muito se quiser brigar por uma vaga no time.

O volante Renato também precisa recuperar seu espaço: jogou apenas oito jogos em 2015, três deles como reserva. Quando perde Gabriel ou Arouca, seus volantes titulares, Oswaldo de Oliveira têm optado por escalar Robinho.

Mouche e Allione sofreram lesões e acabaram perdendo muitas partidas. O primeiro, atacante, deve estar de volta aos gramados em cerca de dois meses; o segundo começou o Paulistão como titular, mas parou para operar o joelho e perdeu a vaga. Quando voltar, vai brigar com Rafael Marques, que foi artilheiro do time no estadual.

O caso de Cristaldo é similar ao dos companheiros argentinos: começou o ano como dono do comando do ataque mas perdeu o lugar para Leandro Pereira na fase decisiva; seu substituto fez gols decisivos nas quartas-de-final e na primeira partida da final. Leandro é outro que volta de uma lesão grave e precisa convencer Oswaldo de Oliveira a aproveitá-lo – o treinador quer vê-lo em ação antes de liberá-lo para um possível empréstimo

A situação mais extrema é a do zagueiro Nathan: depois de despontar como revelação em 2014, praticamente desapareceu do time neste ano.Com Oswaldo, não é nem a quarta opção para a defesa.

É muito provável que, ao término do Brasileiro, alguns desses jogadores não estejam vestindo a camisa alviverde. Isso começa a ser decidido nesse sábado, às 18h30, no Allianz Parque.Remanescentes de 2014 lutam para provar que merecem lugar no Palmeiras

Do time titular do Palmeiras que estreia no  Brasileirão neste sábado, diante do Atlético-MG, apenas Fernando Prass e Valdívia estavam no elenco do ano passado; as outras nove posições são ocupadas por um dos 20 reforços contratados pelo alviverde no início da temporada.

A situação ilustra uma realidade: com exceção do camisa 10 e do goleiro, praticamente todos os remanescentes da temporada passada perderam espaço. Se o alviverde entra no campeonato com aspirações de título, os jogadores que permaneceram do ano passado terão que lutar para encontrar suas vagas.

Começando pela defesa, o argentino Tobio começou o Paulistão como titular; se lesionou, perdeu a posição e começa a o Brasileirão como opção no banco de reservas. O zagueiro Wellington atuou apenas diante do Corinthians, na lateral esquerda – foi seguro, mas não teve mais oportunidades.

Para a lateral esquerda, aliás, o Palmeiras trouxe Zé Roberto e João Paulo; o segundo sofreu uma contusão e Egídio acabou contratado. Victor Luis, um dos destaques em 2014, terá que lutar muito se quiser brigar por uma vaga no time.

O volante Renato também precisa recuperar seu espaço: jogou apenas oito jogos em 2015, três deles como reserva. Quando perde Gabriel ou Arouca, seus volantes titulares, Oswaldo de Oliveira têm optado por escalar Robinho.

Mouche e Allione sofreram lesões e acabaram perdendo muitas partidas. O primeiro, atacante, deve estar de volta aos gramados em cerca de dois meses; o segundo começou o Paulistão como titular, mas parou para operar o joelho e perdeu a vaga. Quando voltar, vai brigar com Rafael Marques, que foi artilheiro do time no estadual.

O caso de Cristaldo é similar ao dos companheiros argentinos: começou o ano como dono do comando do ataque mas perdeu o lugar para Leandro Pereira na fase decisiva; seu substituto fez gols decisivos nas quartas-de-final e na primeira partida da final. Leandro é outro que volta de uma lesão grave e precisa convencer Oswaldo de Oliveira a aproveitá-lo – o treinador quer vê-lo em ação antes de liberá-lo para um possível empréstimo

A situação mais extrema é a do zagueiro Nathan: depois de despontar como revelação em 2014, praticamente desapareceu do time neste ano.Com Oswaldo, não é nem a quarta opção para a defesa.

É muito provável que, ao término do Brasileiro, alguns desses jogadores não estejam vestindo a camisa alviverde. Isso começa a ser decidido nesse sábado, às 18h30, no Allianz Parque.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *