Últimas

Setor imobiliário teme que restrição de recursos provoque crise

A falta de recursos para financiamentos imobiliários pode levar, em última consequência, a uma crise imobiliária. “Nunca vivemos uma bolha imobiliária no Brasil, mas a falta de funding pode fazer com que soframos as mesmas consequências”, afirmou um executivo de uma instituição financeira. Para ele, o preço dos imóveis novos e usados deve baixar nesse período de restrição. Se o valor do imóvel financiado chegar a ser menor do que as prestações que faltam para quitá-lo, a tendência é que os mutuários deixem de pagar os empréstimos.De imediato, o setor da construção civil já sofre as consequências: demitiu de outubro do ano passado a março deste ano 270 mil pessoas. “Sofremos com essa indefinição total”, afirma o presidente da Câmara Brasileira da Construção Civil (Cbic), José Carlos Martins. O segmento aguarda as novas condições das próximas etapas do Minha Casa Minha Vida e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) – que também estão paralisados por falta de recursos.

A última preocupação, segundo Martins, é a proposta protocolada na Câmara dos Deputados de alterar o índice de correção do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de 3% ao ano mais Taxa Referencial (TR) para o índice da poupança (6,17%). Se aprovada a proposta, haverá reajustes nos juros cobrados nos financiamentos do Minha Casa, inferiores aos praticados no mercado.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *