Últimas

7 pontos para entender a crise grega

Publicidade

Sem um acordo entre os ministros de Finanças da zona do euro, a Grécia corre o risco de não conseguir pagar uma parcela de sua dívida com o FMI, gerando insegurança no mercado.

Leia abaixo sete pontos para entender a crise:

*

A Grécia precisa pagar € 1,6 bilhão para FMI até o fim do mês. Por isso, tenta desbloquear € 7,2 bilhões, última parcela do empréstimo dado por € 240 bilhões de FMI e BCE

Jim Watson/AFP
A diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde,chegou a afirmar que o diálogo com a Grécia precisa ser com 'adultos na sala
A diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde,chegou a afirmar que o diálogo com a Grécia precisa ser com ‘adultos na sala’

Porque antes querem que o governo grego se comprometa a:

  1. Cortar em gastos com Previdência
  2. Aumentar impostos, como na eletricidade
  3. Garantir economia nas contas públicas (superavit) de 1% do PIB em 2015, 2% em 2016 e 3,5% até 2018
Odd Andersen/AFP
Lagarde, à esquerda, e Merkel, à direita, chanceler da Alemanha, um dos países credores da Grécia
Lagarde, à esquerda, e Merkel, à direita, chanceler da Alemanha, um dos países credores da Grécia

Atualmente, a Grécia tem uma dívida de 177% do PIB —a dívida pública da zona do euro chega, no total, a 91,9% do PIB

Desde o início da crise grega, a taxa de desemprego subiu para 25%. A economia apresenta alguma reação, com crescimento de 0,8% em 2014.

Mesmo assim, a demanda é tão fraca que a queda nos preços no país foi de 1,4% em 12 meses terminados em maio deste ano.

Aris Messinis/AFP
Eleitores comemoram a eleição do partido esquerdista Syriza, que ascendeu como alternativa em meio à crise grega
Eleitores comemoram a eleição do partido esquerdista Syriza, que ascendeu como alternativa em meio à crise grega

Grécia dará calote na dívida e país pode sair da zona do euro, reduzindo a confiança na união monetária do continente.

Sem um acordo, bancos gregos poderiam começar a limitar os saques e o sistema financeiro grego começar a entrar em colapso.

Michael Probst – 26.out.2011/Associated Press
Cartaz diz "vocês jogam, nós pagamos" diante de uma escultura com o símbolo do euro, em Frankfurt, na Alemanha
Cartaz diz “vocês jogam, nós pagamos” diante de uma escultura com o símbolo do euro, em Frankfurt, na Alemanha

Os ministros ainda estarão em Luxemburgo nesta sexta (19) e, por estarem no mesmo local ao mesmo tempo, podem convocar uma reunião de emergência para definir um plano.

Alguns oficiais da zona do euro acreditam que os representantes gregos querem um acordo e poderão realizá-lo em reunião de emergência com os líderes da UE.

Louisa Gouliamaki/AFP
Primeiro ministro grego, Alexis Tsipras, no Parlamento, em Atenas
Primeiro ministro grego, Alexis Tsipras, no Parlamento, em Atenas

O bloco monetário construído ao redor do euro como moeda comum foi criado em 1999.

Ele é controlado pelo Banco Central Europeu, e conta com 19 países membros, com 337 milhões de habitantes —11 milhões deles, gregos.

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *