Últimas

App da Apple para ler notícias é bem recebido por empresas jornalísticas

Publicidade

O News, novo app da Apple para ler notícias de sites e blogs, foi bem recebido por empresas jornalísticas, apesar de não haver certeza ainda se a ferramenta irá reverter em faturamento com a produção de conteúdo.

O aplicativo foi lançado nesta segunda-feira (8) em evento da Apple em São Francisco. Ele permite ao usuário ler notícias em uma interface que imita a de uma revista digital e substitui o Newsstand (Banca) nos aparelhos que usam o sistema iOS (iPad, iPhone e iPod touch).

Os parceiros da Apple na iniciativa incluem os jornais “The New York Times”, “The Guardian”, “Financial Times”, “The Telegraph” e “Daily Mail”, as redes CNN e ESPN, as revistas “The Atlantic” e “Vogue”, e sites como BuzzFeed e The Verge, entre outros.

Para Joshua Benton, do instituto de pesquisa sobre comunicação Nieman, da Universidade Harvard, a novidade é significativa para o mercado, já que mesmo “pequenas mudanças pela Apple podem causar grandes transformações no comportamento do usuário”.

Benton lembra que, além de haver centenas de milhões de usuários do iOS, o News será integrado à busca e à assistente virtual Siri na nova edição do sistema, onde poderá mostrar notícias sem sequer ser solicitado.

Por outro lado, escreve, “pessoas interessadas em notícias no geral têm hábitos que podem demorar para ser mudados –leitores no Facebook, no Twitter, no Flipboard. Ainda assim, é fácil imaginar um filão de leitores casuais empolgados pelos belos layouts, fontes de informação variadas e facilidade de uso”.

NOVA EXPERIÊNCIA

“O News proverá uma experiência de leitura mais rica e pessoal para nossos leitores”, disse John Skipper, presidente da ESPN e membro do conselho diretor da Disney Media, por meio de comunicado à imprensa emitido pela Apple.

“Conteúdo ‘premium’ merece uma experiência ‘premium’, e o News oferece isso”, disse Bob Sauerberg, presidente da editora Condé Nast (“Vanity Fair”, “Wired”), no mesmo texto.

Diretor internacional da Guardian News & Media, que publica “The Guardian”, escreveu no jornal britânico que a iniciativa pode levar “jornalismo original e de alta qualidade aos milhões de novos leitores que o demandam”.

Ao site da agência Bloomberg, também parte da parceria para o News, o presidente-executivo do Flipboard, Mike McCue, disse que seu produto é diferente do da Apple, já que, segundo ele, tem mais ênfase em compartilhamento de artigos e nas redes sociais.

“Temos um relacionamento próximo com a Apple, e estamos conversando sobre coisas que podemos fazer juntos no futuro”, afirmou.

Justin Sullivan/Getty Images/AFP
SAN FRANCISCO, CA - JUNE 08: Susan Prescott, Apple vice president of Product Management and Marketing, speaks during the Apple WWDC on June 8, 2015 in San Francisco, California. Apple annouced a new OS X, El Capitan, iOS 9 and Apple Music during the keynote at the annual developers conference that runs through June 12. Justin Sullivan/Getty Images/AFP == FOR NEWSPAPERS, INTERNET, TELCOS & TELEVISION USE ONLY ==
Executiva da Apple apresenta o app News durante conferência anual da empresa, em São Francisco

A revista “The Economist” minimizou o lançamento: à Bloomberg, o editor Tom Standage afirmou que não espera que o News se torne uma fonte significante de faturamento, mas sim uma mera maneira de “encorajar as pessoas para que testem nosso app e visitem nosso site”.

O presidente-executivo do “The New York Times”, Mark Thompson, afirmou à agência que pretende coletar informações sobre os hábitos de leitura dos usuários por meio do News. “O que estamos buscando é uma oportunidade para levar nosso jornalismo à maior plateia possível”.

Para Nick Farell, articulista do site tecnológico Fudzilla, o modelo do Newsstand, baseado em oferecer um leque de publicações em uma adaptação da versão impressa (em contraste com uma seleção de artigos digitais de diversas origens) levou o aplicativo ao fracasso, junto com o que considera “ganância” na fatia de 30% pelas assinaturas.

“As assinaturas tinham de passar pela Apple, que ficava com uma mordida de 30% todo mês. Em resumo, a Apple espantou as publicações”, escreveu.

“ECOSSISTEMA”

Há anos, a concorrência das gigantes tecnológicas se expande horizontalmente pelo setor. Empresas de software desenvolvem aparelhos, caso dos aparelhos Google Nexus e do de realidade virtual Facebook Oculus Rift, e fabricantes de dispositivos criam serviços de internet –como o de música por assinatura mostrado pela Apple também nesta segunda.

Notícias são só mais um fator da equação a fim de cercar o consumidor dentro do que costuma ser chamado de “ecossistema”, um universo de produtos que força a fidelidade do usuário.

Na semana passada, o Google –que aposentou seu agregador de notícias, o Reader, há dois anos– mostrou uma função relacionada à Instant Articles, do Facebook, que será embutida na próxima edição do Android.

Intitulada “custom tabs”, permitirá aos desenvolvedores criar um atalho dentro de seus apps diretamente a uma versão “completa” do navegador Chrome, permitindo que o usuário acesse o conteúdo complexo de um site sem deixar o aplicativo.

A gigante de busca mantém um serviço de consulta de notícias pela internet, também intitulado News (Notícias, na versão em português).

No mês que vem, o Apple News poderá ser usado pelo público em geral, mas ainda em fase de testes “beta aberto”.

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *