Últimas

Brasileiro indiciado em escândalo da Fifa é procurado pela Interpol

Publicidade

Indiciado pela Justiça dos Estados Unidos em investigação sobre corrupção no futebol, o argentino naturalizado brasileiro José Margulies, conhecido como José Lazaro, está na página de procurados da Interpol, a Polícia Internacional.

Margulies intermediava contratos da Conmebol com emissoras de televisão e empresas de marketing esportivo.

Além dele, José Maria Marin, ex-presidente e atual vice da CBF, e J. Hawilla, empresário dono da Traffic, foram indiciados pela Justiça Americana.

DECISÃO

Por telefone, o empresário afirmou à Folha na última quarta-feira (27) que está na Alemanha, onde pretende ver a final da Liga dos Campeões.

“Sei da investigação, mas ainda não fui informado sobre indiciamento”, disse Lazaro, que mora há 50 anos no Brasil.

O empresário diz que intermediou contratos da Conmebol com a TyC, empresa argentina de marketing esportivo. Ele afirma que em 2006 negociou com a Fifa acordos para a venda de direitos de transmissão das eliminatórias da Copa do Mundo.

“Não temo [ser preso]. Estou de férias aqui na Alemanha e vou assistir à final da Liga dos Campeões”, afirmou.

Editoria de Arte/Folhapress

DETIDOS

A polícia suíça realizou na quarta-feira (27), a pedido das autoridades dos EUA, uma operação surpresa para deter seis dirigentes da Fifa investigados por corrupção e com mandados de extradição. Entre os detidos está o ex-presidente da CBF José Maria Marin, que deixou a entidade me abril.

Os outros detidos foram Jeffrey Webb, Eduardo Li, Julio Rocha, Costas Takkas, Eugenio Figueredo e Rafael Esquivel (veja abaixo o perfil dos dirigentes).

As autoridades suíças relataram que os detidos devem ser extraditados para os Estados Unidos, onde a procuradoria de Nova York faz a investigação.

Agentes chegaram no início da manhã (horário local) ao luxuoso hotel cinco estrelas Baur au Lac, em Zurique, onde os dirigentes estão reunidos para um congresso anual da entidade máxima do futebol. A entrada do prédio foi bloqueada e dezenas de jornalistas se aglomeravam no local. Ainda não há informações de para onde os detidos foram levados.

Os alvos da operação seriam principalmente dirigentes da Concacaf, como o presidente Jeffrey Webb. A entidade, que engloba os países das Américas do Norte e Central e do Caribe, realizou na terça (26) uma reunião que contou com a presença do presidente da Fifa, Joseph Blatter.

Em entrevista coletiva na manhã desta quarta, a Fifa afirmou que Blatter não está envolvido no caso, que o congresso está mantido e que a entidade está colaborando com as autoridades.

As acusações, segundo a polícia suíça, estão relacionadas a um vasto esquema de corrupção de mais de US$ 100 mi dentro da Fifa nos últimos 20 anos, envolvendo fraude, extorsão e lavagem de dinheiro em negócios ligados a campeonatos na América Latina e acordos de marketing e transmissão televisiva.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos divulgou também nesta quarta-feira (27) que a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) está sendo investigada por acusações de corrupção em acordos comerciais. Segundo nota das autoridades americanas as investigações incluem acusações sobre pagamento de suborno em relações ao contrato da entidade com uma grande marca esportiva americana e também pagamentos em relação a contratos da Copa do Brasil.

Polícia suíça detém dirigentes da Fifa

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *