Confira passeios para fazer em Cuba

Publicidade

Desde o histórico aperto de mãos entre Barack Obama e Raúl Castro e o anúncio da retomada das relações diplomáticas entre Estados Unidos e Cuba, a face econômica da ilha vem mudando gradativamente, abrindo novas rotas turísticas e comerciais.

Em Santiago, Trinidad e Camagüey, os locais que mais atraem turistas em Cuba, 440 mil cubanos obtiveram licença para abrir lojas, negócios, restaurantes, casas para hospedagem, habitações coloniais e antigos palácios que oferecem quartos e café da manhã. Novidades também podem ser vistas no campo gastronômico: uma jovem geração de chefs têm dado vida a numerosos paladares.

Residências privadas se transformam em pequenos restaurantes, que oferecem pratos típicos em uma atmosfera familiar. Os mais frequentados são: O Santy, no bairro Jaimanitas; Casa Abel, para amantes de cigarro com fumódromo para ser utilizado após a refeição; Mercaderes, com proposta vegetariana e pratos muito procurados; Doña Eutimia, local de atmosfera divertida sempre lotado e La Vitrola, onde pode-se encontrar um ótimo hambúrguer.

Entre os históricos restaurantes que merecem uma visita estão La Guarida, no qual foi gravado o famoso filme cubano “Morango e Chocolate”, a Casa de Adela, no bairro Vedado, onde pode-se comer na varanda, e La Cocina de Lilliam, em Miramar, no qual jantou o ex-presidente norte-americano Jimmy Carter.

Há também itinerários que permitem visitar a fabricação de rum, desde as plantações de cana-de-açúcar até sua produção final, e novidades no campo artístico: a Fábrica de Arte Cubano é um novo ponto de encontro, inaugurada há um ano pelo músico X-Alfonso em uma antiga indústria em Vedado.

Até 22 de junho, a capital cubana também terá um atrativo à parte: acontece a Bienal de Havana, que neste ano celebra a 12ª edição com artistas provenientes de todo o mundo.

Na ilha, é possível se deixar seduzir pelo charme da Plaza de Armas, com o mercado de livros usados, com a plaza de la Catedral e com a igreja gótica de San Cristobal na velha Havana do século XVI, a qual a Unesco declarou patrimônio da humanidade por seu aspecto colonial espanhol.

Também pode-se caminhar na rua Obispo até o número 153, onde se encontra o hotel Ambos Mundos, escolhido por Ernest Hemingway para sua estadia. No rastro do escritor norte-americano que se apaixonou por Cuba, o turista pode beber um bom “mojito” na La Bodeguita del Medio ou um “daiquiri” na El Floridita, um bar frequentado nos anos 30 por ricos americanos e no qual dizem ter nascido o célebre coquetel.

Na plaza de Armas, é possível passear pela rua Mercaderes até a plaza Vieja e a plaza de San Francisco de Asís, e de lá, indo reto ao longo da rua Brasil, se atinge o Campidoglio, uma das obras arquitetônicas da cidade. Um pouco distante disso, fica o parque central, onde os cubanos se encontram para conversar e passear, o Gran Teatro de La Habana e o histórico hotel Inglaterra, o mais velho da cidade.

Franklin Reyes – 21.jul.12/Associated Press
Barman do bar El Floridita ao lado da estátua do escritor Ernest Hemingway
Barman do bar El Floridita ao lado da estátua do escritor Ernest Hemingway

Da Velha Havana para Malecón, o visitante passará pelo bairo Miramar, onde é possível visitar a Casa de la Musica para dançar ao ritmo de salsa, mas não antes de ir ao luxuoso Hotel Nacional, aberto em 1930 e famoso por ter hospedado celebridades do cinema norte-americano e personalidades ilustres ao redor do mundo.

Também são inúmeros os museus que merecem uma visita, entre eles o La Revolución, que ajuda a remontar a história cubana, e o do Ron, dedicado ao rum, o licor nacional.

É imperdível a passada na Casa del Habano para fazer compras e ver a preparação do famoso cigarro cubano, que leva a um tour guiado pela Real Fábrica de Tabacos Partagás. O Cienfuegos é patrimônio da humanidade e fica a 200 km da capital, com sua doca espetacular, casas refinadas e jardim botânico.

Não muito longe, dá para alcançar outro patrimônio da Unesco: Trinidad, a “cidade museu” que os guias consideram como a mais original e intacta da ilha, com suas ricas igrejas barrocas e sinos afiados. O centro histórico é uma joia e em todo lugar se respira fervor religioso: provavelmente será a que o papa Francisco visitará em sua viagem a Cuba no mês de setembro.

Completamente diferente é Santiago: pequena e mestiça, é lá que fica o castelo de San Pedro del Morro, outro patrimônio da Unesco, que possui uma vista de tirar o fôlego de toda a costa a noroeste da cidade. Porém, o mar é o verdadeiro tesouro de Cuba: muitas praias e locais estão intactos, enquanto tantas outras ficam lotadas e são desfrutadas pelo turismo.

Porém, a expectativa é de que a abertura econômica não prejudique a beleza da natureza e do mar da região caribenha.

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *