Últimas

Cunha diz que o PT chegou 'próximo ao fundo do poço'

Publicidade

Minutos antes de participar de um debate com investidores nesta segunda (22), em São Paulo, o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) afirmou que o PT está “vivendo uma processo de desgaste que talvez tenha chegado ao fundo do poço”.

Questionado sobre o baixo índice de popularidade da presidente Dilma Rousseff revelado na pesquisa Datafolha, Cunha afirmou que o desgaste foi “amplificado pela deterioração econômica”.

“(O PT) está chegando ao nível de patamar baixo, próximo ao fundo do poço. A tendência é recuperar ou ficar onde está. Dificilmente tem como piorar”, disparou ele, que participou de um encontro no Centro de Debate de Políticas Públicas, no Jardim América.

O deputado afirmou que um dos problemas é que o governo está implementando medidas que não foram debatidas na campanha eleitoral.

Sobre a possibilidade da queda de popularidade da presidente atingir o seu partido, o PMDB, principal aliado do PT, desconversou. “O fato de sermos aliados do governo não significa que teremos um projeto eleitoral conjunto a frente”, disse Cunha.

“Claro que tem um desgaste para todos que estão juntos. Mas não é por essa tônica que temos que olhar. A responsabilidade de governar é do PT”, enfatizou.

O presidente da Câmara também confirmou que na quarta (24) e quinta (25) colocará em votação o projeto que altera a desoneração da folha de pagamentos. “Não sei se é a medida (do pacote fiscal) mais importante, mas é aquela que o governo reputa como a mais relevante”, destacou.

Sobre as prisões de Marcelo Odebrecht, presidente da Odebrecht, e de Otávio Azevedo, presidente da Andrade Gutierrez, na última fase da Operação Lava Jato, Cunha destacou que esse é um assunto que tange à justiça. “Não cabe a nós fazemos comentários”. O deputado faz parte do grupo de políticos investigados pela operação.

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *