Últimas

Ex-ministro Mantega é hostilizado em público pela terceira vez

Publicidade

O ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, foi hostilizado, novamente, em público neste domingo (29), enquanto almoçava com a família no restaurante Trio, no bairro da Vila Olímpia em São Paulo.

Em dois vídeos feitos por clientes que também estavam no local, dois homens e uma mulher aparecem gritando com o ex-ministro.

As agressões parecem ter começado com a mulher que diz que “a gente não pode mais aguentar calado”. Em seguida, o acompanhante diz que “o senhor (Mantega) devia ter vergonha de sair de casa, vergonha do que o senhor fez e do seu partido (PT)”.

O ex-ministro se levanta e vai em direção às pessoas que estão gritando. Em seguida, um terceiro homem o chama de “ladrão, ladrão, palhaço, sem vergonha, é isso que o senhor é”. E continua: “estão acabando com a Petrobras, acabando com tudo, e você lá na Petrobras”.

Nas imagens, não dá para ouvir se Mantega responde alguma coisa. Segundo a Folha apurou com pessoas próximas ao ex-ministro, ele teria apenas questionado o porquê de estar recebendo aquelas agressões. Procurado, ele não quis se pronunciar.

Mantega foi um dos mais longevos ministros da Fazenda do país, ocupando o cargo de março de 2006 ainda no governo Lula até o fim do primeiro mandato da presidente Dilma. Setores da opinião pública responsabilizam o ex-ministro pelo desarranjo das contas públicas e pela recessão que o país enfrenta.

Ele também foi presidente do conselho de administração da Petrobras, que enfrenta um escândalo de corrupção descoberto pela Operação Lava Jato. A estatal foi obrigada a reconhecer perdas de quase R$ 56 bilhões com corrupção e má-gestão.

É a terceira vez que Mantega é agredido verbalmente em lugares públicos. A primeira vez foi na lanchonete do Hospital Albert Einstein, onde a esposa dele passa por tratamento, e a segunda, no restaurante Aguzzo, em Pinheiros.

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *