Últimas

Iranianos afastam smartphone para evitar espiões

sábado, 13 de junho de 2015 – 14h03

Atualizado em
sábado, 13 de junho de 2015 – 14h07

Determinação foi pensada após autoridades suíças e austríacas indicarem que pretendem investigar negociações com o Irã


Líderes iranianos não deverão usar smartphones profissionalmente por causa de espionagem / DivulgaçãoLíderes iranianos não deverão usar smartphones profissionalmente por causa de espionagem
Divulgação

Algumas autoridades iranianas com acesso a informações confidenciais não poderão usar smartphones para uso profissional a fim de evitar o risco de espionagem, informou neste sábado um funcionário da defesa civil.

Estas declarações ocorrem após autoridades suíças e austríacas indicarem na quinta-feira que abriram investigações por suspeitas de espionagem informática em hotéis onde ocorrem as negociações sobre o programa nuclear iraniano, sendo Israel apontado por especialistas como culpado.

“Os funcionários que têm acesso a informações classificadas não deverão usar smartphones, mas outros telefones para uso profissional”, declarou o general Gholamreza Jalali, citado pela agência de notícias ISNA.

“Há sempre uma cópia das informações que são inseridas em um smartphone, e de alguma forma a empresa que fabrica o dispositivo pode ter acesso a essa informação”, disse Jalali.

Ele acrescentou que esta “diretiva” estava em preparação, sem especificar quando seria implementada.

Nos últimos anos, o Irã tem sido alvo de vários ataques cibernéticos, especialmente contra seu programa nuclear, incluindo pelos vírus Duqu e Stuxnet.

Stuxnet, desenvolvido pelos Estados Unidos ou Israel, atacou no outono de 2010 o programa nuclear iraniano, especialmente suas centrífugas usadas para enriquecimento de urânio, para tentar diminuir os esforços de Teerã em seu programa nuclear.

“Stuxnet era a arma mais perigosa que tinha a capacidade de destruir instalações nucleares (…) mas felizmente nós conseguimos controlar e neutralizar o vírus”, afirmou o funcionário iraniano.

Fonte: Band.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *