Últimas

Líbia afirma que ataque dos EUA no país matou líder ligado à Al Qaeda

Publicidade

Ataques aéreos executados pelos EUA no fim de semana no leste da Líbia provavelmente mataram Mokhtar Belmokhtar, um líder ligado à rede terrorista Al Qaeda.

Belmokhtar foi o líder de um ataque a uma usina de gás na Argélia, em 2013, que matou pelo menos 35 reféns, incluindo três norte-americanos.

O governo da Líbia disse que o ataque com caças matou Mokhtar Belmokhtar e vários outros militantes no leste da Líbia.

Uma autoridade dos EUA disse que dois jatos F-15 de combate lançaram várias bombas de 225 quilos durante o ataque.

O funcionário, porém, não estava autorizado a dar detalhes sobre o ataque e falou sob condição de anonimato.

Autoridades norte-americanas disseram que ainda estão avaliando os resultados do ataque, realizado no sábado.

O porta-voz do Pentágono, coronel Steve Warren, acredita que o ataque tenha sido bem-sucedido e tenha atingido os alvos.

Nem autoridades norte-americanas nem o governo líbio, porém, forneceram provas de que Belmokhtar tenha sido morto.

A confirmação provavelmente irá requerer um teste de DNA ou um anúncio feito pelo grupo de Belmokhtar.

Autoridades dos EUA disseram que não havia militares do país em solo durante o ataque.

Em 2013, os EUA acusou formalmente Belmokhtar pelo ataque realizado ma Argélia.

Autoridades disseram que ele Belmokhtar permanecia sendo uma ameaça para os EUA e para os interesses ocidentais.

Belmokhtar, um argelino de 40 anos, tinha acabado de se separar da Al Qaeda no Magreb Islâmico (AQIM) para começar sua própria organização terrorista.

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *