Marin só pode deixar cela uma vez por dia na Suíça e tem visita semanal

Publicidade

Detido desde a última quarta-feira (27), o ex-presidente e atual vice da CBF José Maria Marin só pode deixar sua cela em um presídio na Suíça uma vez por dia para caminhar no jardim da penitenciária.

De acordo com a porta-voz do sistema de execuções penais de Zurique, Rebecca de Silva, o cartola não desfruta de nenhum privilégio em relação aos demais presos e tem direito a três refeições por dia: café da manhã, almoço e jantar. No almoço e no jantar, pode comer carne, vegetais, massa, arroz e batatas e, eventualmente, frutas de sobremesa.

Marin também não precisa ficar com uniforme de presidiário. As autoridades suíças dizem que ele pode usar roupas próprias, mas, se precisar, o presídio também oferece peças para ele vestir.

Segundo a Justiça suíça, ele pode receber a visita de advogados com hora marcada. Visitas de familiares e amigos, apenas uma vez por semana.

Sem acesso a celular, o dirigente pode deixar a cela uma vez por dia para andar pelo jardim da prisão.

Apesar da idade –Marin tem 83 anos–, ele não tem privilégios. Se tiver algum problema de saúde, o cartola nem poderá deixar o presídio. Há um hospital dentro para atendê-lo.

Nessas condições, o dirigente pretende pedir prisão domiciliar.

Isto é José Maria Marin

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *