Últimas

Moda masculina: passarelas de Paris consagram a volta do jeans

Modelos apresentam criações da Givenchy, em Paris, no dia 26 de junho de 2015
© AFP FRANCOIS GUILLOT
Modelos apresentam criações da Givenchy, em Paris, no dia 26 de junho de 2015
© AFP FRANCOIS GUILLOT

Paris (AFP) – Os desfiles de moda masculina desta sexta-feira em Paris consagraram a volta do lendário jeans em várias opções para o armário masculino na primavera-verão 2016. 

Da marca francesa Givenchy até a coreana Juun.J, o material imortal de algodão azul voltou a marcar presença e confirmou a tendência dos dias anteriores, especialmente na coleção da maison Valentino.

Jesus Cristo superstar na Givenchy

Nas mãos de seu estilista italiano Riccardo Tisci, a Givenchy manteve suas tradicionais influências góticas e elegantes, mas surpreendeu com a aposta do denim e de estampas com a imagem de Jesus Cristo.

Graduado em 1999 na escola londrina Central Saint Martins Academy, Tisci vestiu os homens de jeans em sua linha informal, com variações de listras e estrelas que evocam a bandeira americana, mas apenas em tons de azul.

Também aflorou seu lado minimalista, com looks de calça curta e linhas amplas, blusões com a imagem de Jesus, e casacos de linhas retas. Tudo declinado em preto e branco, além do dourado nos sapatos de couro.

O italiano não se fixou no masculino e desfilou também mulheres em tons de amarelo, azul, branco e rosa. Os ares eram de festa para elas, misturando franjas no estilo charleston, plumas e impressionantes transparências. Grandes pingentes e longos colares deram um ar cigano aos looks. O desfile contou com tops como Naomi Campbell, admirada da primeira fila pela cantora americana Courtney Love.


Modelo apresenta criação da Givenchy, em Paris, no dia 26 de junho de 2015
© AFP FRANCOIS GUILLOT
Modelo apresenta criação da Givenchy, em Paris, no dia 26 de junho de 2015
© AFP FRANCOIS GUILLOT

Jeans até 2070

Paletó com calças jeans ou conjunto? O coreano Juun.J se diverte confundindo e distraindo o olhar com modelos em que mistura a calça de jeans e as listras, além de acabamentos que criam efeitos inesperados.

“Esta coleção não é algo evidente, tem coisas ocultas que têm que ser buscadas”, disse o estilista coreano no final do desfile.

Os materiais se misturam, mas o jeans continua sendo o rei, bruto ou gasto, fabricado no Japão. “Me fiz a pergunta: o que vamos usar em 2070? A resposta foi: jeans!”, disse. “O denim é eterno. É algo muito comum e ao mesmo tempo é muito belo”.

Quanto aos cortes, o estilista prefere os amplos, com mangas muito longas, calças folgadas e boca de sino.

O jeans esteve especialmente presente na prolífica coleção Valentino, com 73 modelos, quantidade astronômica para uma coleção masculina que ilustra o bom momento do setor, declinado em casacos e calças. Muitas vezes aparecem personalizados com bordados ou estampas florais ou animais, outra tendência da temporada. O jeans apareceu também em jaquetas de patchwork em diferentes tons de azul.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *