Últimas

Papa apresentará encíclica sobre ecologia em 18 de junho

Cidade do Vaticano, 4 Jun 2015 (AFP) – O papa Francisco apresentará no dia 18 de junho a primeira encíclica dedicada à ecologia e ao cuidado do meio ambiente, um tema que constitui um desafio para todo o planeta, indicou nesta quinta-feira o Vaticano.

A primeira encíclica que pode ser atribuída completamente ao pontífice argentino, já que a anterior foi escrita a quatro mãos com Bento XVI, leva o título “Laudato sii” (“Louvado seja”), as palavras com as quais tem início o Cântico das Criaturas de São Francisco de Assis, considerado o primeiro texto ecológico da história, escrito antes da morte do santo defensor da natureza, em 1226.

Segundo o Vaticano, o texto foi escrito em italiano e aborda um dos argumentos mais apreciados pelo papa argentino: a chamada “ecologia humana” e o “cuidado da criação”, subtítulo da encíclica.

Para sua elaboração, o papa Francisco consultou muitos especialistas e cientistas e espera que sirva de referência aos presentes na conferência internacional contra o aquecimento global que será realizada em Paris (França) em dezembro.

Segundo a revista alemã Die Zeit, a encíclica condena o consumismo, o capitalismo selvagem e aborda o fenômeno da energia nuclear.

Assim como São Francisco, o papa latino-americano se referirá no texto ao “Irmão Sol, à Irmã Lua, à Irmã Terra”, para pedir a detenção das mudanças climáticas, do desmatamento, mas também da fome, da desigualdade e da pobreza.

Segundo o diretor da Libreria Editrice Vaticana, Giuseppe Costa, há muito interesse por parte de editoras de todo o mundo pelo texto do papa Francisco, que consultou teólogos conhecidos por sua defesa do meio ambiente e, em particular, da Amazônia, o pulmão do planeta, como o brasileiro Frei Betto e o bispo da Amazônia, Pere Casaldàliga.

Francisco advertiu no dia 12 de maio que também se dirigirá aos poderosos da terra, aos grupos de poder, em particular às grandes multinacionais, que se converteram nos verdadeiros depredadores do planeta, aumentando assim o abismo entre pobres e ricos.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *