Últimas

Paraguai vai entrar em campo contra o Brasil para "matar ou morrer"

  • AP Photo / Luis Hidalgo

A seleção paraguaia promete “matar ou morrer” contra o Brasil, neste sábado no duelo válido pelas quartas de final da Copa América do Chile-2015, avisou nesta segunda-feira o zagueiro ‘guaraní’ Paulo da Silva.

“Sabemos que é um jogo de matar ou morrer. Quando tivermos uma chance, temos que agarrá-la”, afirmou Da Silva em coletiva de imprensa em La Serena, no norte do Chile, onde está concentrada a seleção do técnico argentino Ramón Díaz.

“Chegamos com um objetivo e o estamos cumprindo. As expectativas são muito altas, as pessoas estão sonhando. Há muito tempo que as pessoas não tinham uma alegria e isso é muito bom”, completou o experiente zagueiro do Toluca mexicano, de 35 anos.

O Paraguai chegou em crise ao Chile e poucos acreditavam nas chances de passar às quartas de final, mas terminou na segunda colocação do Grupo B, com uma vitória sobre a Jamaica por 1 a 0 e dois empates diante de Argentina (2-2) e Uruguai (1-1). Nas quartas, o confronto será contra o Brasil, no sábado em Concepción.

Em relação à partida contra a seleção brasileira, que não terá Neymar, suspenso, Da Silva se mostrou confiante nas chances do Paraguai, mas admitiu ter um “certo respeito” pelo adversário.

“O jogo é parelho. Em edições anteriores, o Brasil era muito superior. Eu continuo achando que o Brasil é uma grande seleção. Há um certo respeito de nossa parte, sabemos contra quem vamos jogar”, explicou.

Se o Brasil não tem Neymar, o Paraguai não poderá contar com Richard Ortiz, suspenso por acumulo de cartões amarelos, e possivelmente com Miguel Samudio e Néstor Ortigoza, machucados.

Na última edição da Copa América, na Argentina em 2011, a seleção paraguaia eliminou nas quartas de final o Brasil nos pênaltis, a caminho da final da competição, perdida para o Uruguai.

Para Da Silva, as circunstâncias são diferentes nesta ocasião: “Há quatro anos, nos classificamos como um dos terceiros colocados, não tínhamos vencido nenhuma partida. Hoje, estamos mais fortalecidos no quesito resultados”, justificou.

“A Copa América tem sido parelha. Fizemos um grande trabalho, se classificaram os oito melhores e não podemos descartar nenhuma equipe”, concluiu.

– “Punição justa a Neymar” -Outro integrante da defesa paraguaia, o lateral Iván Piris, também falou da suspensão de quatro jogos de Neymar.

“Ele recebeu uma suspensão que acredito ser justa pelo que ele fez”, garantiu, afirmando que a ausência do craque brasileiro prejudica o Brasil porque “o time se baseia muito no que fazia Neymar”.

Piris, de 26 anos, concordou com Da Silva, lembrando que o Brasil “sempre precisa ser respeitado”, mas declarou que o Paraguai é uma equipe aguerrida, “focada em fazer uma grande partida”.

Nesse sentido, o lateral adiantou que a intenção será “pressionar e não dar espaços. Vai depender mais da gente do que do Brasil”, concluiu.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *