Últimas

Ações da Petrobras caem mais de 4% e Bolsa tem menor nível em dois meses

Publicidade

O principal índice da Bolsa brasileira fechou esta quarta-feira (1º) em queda, na contramão dos principais mercados internacionais, que repercutiram positivamente a sinalização da Grécia de que o país estaria disposto a aceitar a maioria das exigências dos credores a fim de obter resgate financeiro, embora ministros da zona do euro tenham rejeitado a proposta grega pela tarde.

O Ibovespa perdeu 0,61%, para 52.757 pontos. É a menor pontuação desde 1º de abril, quando ficou em 52.321 pontos. O volume financeiro foi de R$ 5,813 bilhões. A cifra normalmente é mais baixa nos meses de junho e julho, por causa do período de férias no hemisfério norte, segundo analistas. A avaliação é que o cenário interno impediu o avanço do índice no dia.

O desempenho negativo de 4,17% das ações preferenciais da Petrobras, mais negociadas e sem direito a voto, para R$ 12,18 cada uma, ajudou a empurrar o Ibovespa para baixo. Os investidores estiveram atentos a uma reunião com acionistas da estatal na qual estava prevista a votação de uma série de mudanças no estatuto da companhia, que pode diluir poder dos diretores.

“O mercado brasileiro está sem forças e a economia segue com perspectivas ruins. Falta um novo gatilho para impulsionar as compras”, disse Raphael Figueredo, da Clear Corretora.

O Senado aprovou uma proposta que permite reajuste salarial de até 78% entre 2015 e 2017 para os servidores do Poder Judiciário. Estima-se que o impacto da medida possa chegar em R$ 1,5 bilhão nas contas do governo só em 2015.

Segundo a XP, trata-se de mais um revés na agenda fiscal, já que na semana passada foi aprovada a emenda que vincula a correção de todos os benefícios da Previdência Social à política de valorização do salário mínimo, podendo gerar custos de até R$ 9,2 bilhões por ano.

Além disso, a avaliação do governo Dilma Rousseff caiu para 9% de ótimo e bom, segundo a nova rodada da pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quarta-feira. O percentual da população que considera o governo ruim ou péssimo subiu para 68%. É o pior desempenho de um governante nos últimos 29 anos, segundo a série histórica divulgada pela CNI/Ibope.

No exterior, os países da zona do euro rejeitaram mais uma vez o apelo da Grécia para um socorro financeiro e decidiram esperar o plebiscito marcado no país para o próximo domingo (5). A informação foi anunciada pelo presidente do Eurogrupo, o holandês Jeroen Dijsselbloem, após reunião nesta quarta.

AÇÕES

A Vale viu sua ação preferencial cair 1,03%, para R$ 15,42. Os preços do minério de ferro negociado no mercado chinês tiveram nova baixa nesta sessão. A China é o principal destino das exportações da mineradora brasileira.

Do outro lado do Ibovespa, as ações da Cetip estiveram entre os maiores ganhos do índice, com valorização de 3,87%, para R$ 35,40. A Agência Estado publicou na véspera que o Itaú Unibanco adotou ferramenta desenvolvida pela empresa para registro eletrônico de contratos de financiamentos imobiliário.

“Este é um marco importante no desenvolvimento do negócio de registro de hipotecas da Cetip”, disse o Bradesco BBI em nota a clientes. A Cetip também foi incluída na carteira recomendada para julho do BTG Pactual.

A petroquímica Braskem caiu 4,70%, a R$ 12,98, com agentes financeiros repercutindo notícia de que um acionista da empresa processou a companhia, acusando-a de envolvimento no escândalo de corrupção na Petrobras.

CÂMBIO

No câmbio, o dólar subiu em relação ao real com a criação de vagas maior do que a esperada no setor privado dos Estados Unidos contrabalançando as expectativas de acordo entre a Grécia e seus credores.

O dólar à vista, referência no mercado financeiro, teve valorização de 0,71% sobre o real, cotado em R$ 3,129 na venda. Já o dólar comercial, usado no comércio exterior, avançou 1,15%, para R$ 3,146.

Os investidores mantinham as atenções voltadas às intervenções do Banco Central no mercado. A instituição iniciou nesta quarta-feira as operações de renovação dos contratos de swap cambial que vencem no começo de agosto -operação que equivale a uma venda futura de dólares.

A oferta foi de até US$ 340 milhões. Se mantiver esse ritmo ao longo do mês, o BC vai renovar menos de 70% do lote de contratos com vencimento em agosto, que soma US$ 10,675 bilhões. Em junho, o BC iniciou o mês indicando a renovação de 80% dos contratos, mas reduziu o ritmo ao longo das semanas e acabou por rolar cerca de 70%. Com isso, a instituição tirou do mercado cerca de US$ 2,5 bilhões.

Com agências de notícias

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *