Últimas

Alckmin descarta adesão do PSDB a eventual governo de coalizão de Temer

O governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) joga um balde de gelo na ideia de que o PSDB poderia participar de eventual governo de coalizão do vice-presidente Michel Temer em caso de afastamento de Dilma Rousseff da Presidência. O poder, reafirma ele, só deve ser conquistado pelas urnas.

PARA TRÁS
Alckmin, que repete que qualquer solução para a crise passa pela Constituição, analisa que a participação do PSDB num governo de coalizão com o PMDB só teria um beneficiado –o próprio PMDB. Temer, em caso de sucesso, dificilmente abriria mão de ser candidato à Presidência em 2018, deixando os tucanos a reboque.

DOCE ILUSÃO
Por esse raciocínio, seria ilusão pensar que um governo Temer repetiria a Presidência de Itamar Franco –que nomeou Fernando Henrique Cardoso ministro da Fazenda e pavimentou o caminho do PSDB ao poder. Para tucanos que sonham com essa alternativa, Temer daria o comando da economia ao senador José Serra, que teria então visibilidade para concorrer à Presidência.

TÔ FORA
O governador já tinha deixado clara a sua posição há dois meses, numa reunião com a bancada do PPS em SP. E agora repete seus bordões a interlocutores que voltaram a discutir a possibilidade de afastamento de Dilma.

TÔ FORA 2
E Temer almoçou com Delfim Netto na sexta, no Gero, em SP. Reafirmou o tempo todo que está fora de qualquer operação para derrubar Dilma. E opinou que o país, em caso de afastamento dela, poderia ficar ingovernável.

Jantar para Eduardo Cunha

ENTREOUVIDOS
Eduardo Cunha (PMDB-RJ), homenageado pela Sociedade Rural Brasileira na segunda (13) em SP, dividiu a mesa com o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, que foi cotado para ser ministro da Fazenda. O deputado federal recebeu a Medalha Mérito Rural, “pela autoridade e liderança com que exerce o comando da Câmara”.

TUDO TRANQUILO
Advogado de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Antonio Fernando de Souza diz estar “tranquilo” mesmo diante de informações de que o presidente da Câmara deve ser denunciado pelo Ministério Público por envolvimento com a Lava Jato. “Os elementos do inquérito a que tivemos acesso até agora não nos trazem preocupação”, afirma.

PASSO ALÉM
O procurador-geral Rodrigo Janot estuda até mesmo pedir o afastamento de Cunha da presidência da Câmara.

‘O juiz não atua, não canta e não dança’, diz ator vetado

Uma aglomeração se forma em frente ao Teatro Procópio Ferreira na noite de segunda (13). É a fila de entrada para uma apresentação para convidados do musical “Memórias de um Gigolô”, dirigido por Miguel Falabella. Enquanto os atores do elenco se preparam no camarim, um deles, o menino Matheus Braga, 13, está do lado de fora.

*

Na tarde daquele mesmo dia, ele recebeu a decisão final da Justiça, que manteve o veto à sua participação no espetáculo. Na semana passada, o juiz Flavio Bretas Soares, da Infância e Juventude do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, proibiu que ele pisasse no palco.

*

“O juiz disse que algumas coisas da peça podiam afetar minha cabeça, mas não tem nada a ver. Ele não atua, não canta e não dança. Como vai saber como é?”, dizia o garoto, que faz teatro, segundo sua mãe, desde os três anos e meio de idade.

*

Uma das “coisas” a que ele se refere é o uso da palavra “masturbação” em uma das cenas do musical. “Vê se pode? Só uma palavra, dita num contexto de comédia, vai afetar a formação dele? Não faz sentido”, completava Priscila Braga, mãe de Matheus.

*

De acordo com ela, em nenhum momento o magistrado consultou a sua opinião nem a de Falabella, que “acompanhou todo o processo”. Antes do início da sessão, o diretor fez um discurso de protesto contra a decisão. “O senhor [juiz] ganha uma patética e tristonha citação na história do teatro brasileiro”, disse.

Apresentação para convidados da peça "Memórias de um Gigolô"

O ator Eduardo Bodstein, que é assistente de direção em “A Volta pra Casa” –espetáculo com Regina Duarte que tem a participação de Matheus– diz que o garoto é um dos atores preferidos da atriz e que ela e o restante do elenco da peça estão protestando. “Isso é censura”, afirma.

*

Tanto Matheus quanto sua mãe ainda esperam que ele possa participar da turnê do espetáculo em outros Estados. “Estou meio triste, mas os outros atores disseram que isso pode trazer coisas melhores no futuro”, diz o garoto, que se prepara para lançar um disco e um filme até o fim deste ano.

DOUTOR SUPLICY
O ex-senador Eduardo Suplicy diz que recebeu nesta terça (14) “uma das mais importantes notícias ao longo de minha vida”: a Universidade de Louvain, na Bélgica, concederá a ele o título de doutor honoris causa. Ele o receberá em 2 de fevereiro, quando a instituição celebra os 500 anos da publicação de “Utopia”, livro de Thomas More.

CHANCE
“Aproveito a oportunidade para lhes informar que continuo no aguardo da audiência que a Presidenta Dilma Rousseff garantiu que iria me conceder”, afirma Suplicy na mesma carta em que comunicou a boa-nova aos amigos.

ASSIM SE TOCA
O cantor Emicida será curador no Brasil de uma rádio temporária que faz parte de uma campanha mundial da ONU. A Everyone (todos, em inglês), emissora que será lançada pelo Global Citizen Festival, vai chamar a atenção para o combate à desigualdade e às mudanças climáticas. Gilberto Gil e Criolo também foram convidados para opinar na programação.

Truffaut: Um cineasta Apaixonado

ROMANCE À FRANCESA
O diretor do MIS, André Sturm, recebeu convidados como o secretário de Cultura do Estado, Marcelo Araujo, na abertura da exposição “Truffaut: um Cineasta Apaixonado”, na segunda (13). A presidente do Instituto Se Toque, Monica Serra, o diretor de cinema João Daniel e a atriz Ângela Dip também foram à estreia da mostra.

*

CURTO-CIRCUITO

Elba Ramalho faz show beneficente nesta quarta (15) no Canto da Ema, em Pinheiros, às 22h30. 18 anos. Renda para o trabalho social da cantora.

Wanderléa participa nesta quarta (15) do Notas Contemporâneas, no MIS, às 20h. Grátis.

O advogado Leo Wojdyslawski (Cesnik, Quintino e Salinas) dá palestra nesta quarta (15), às 20h, no Red Bull Station.

O grupo Canto Livro faz o show “O Sertão na Canção”, baseado em “Grande Sertão: Veredas”. Nesta quarta (15), às 21h, no Tatu Bar, em Pinheiros.

A Canvas Galeria abre nesta quarta (15) às 11h a visitação à exposição de Katharina Welper.

Chitãozinho & Xororó e Bruno & Marrone tocam nesta quinta (16) no aniversário do Villa Country. 18 anos.


com JOELMIR TAVARES, MARCELA PAES e LETÍCIA MORI

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *