Detento palestino libertado após dois meses de greve de fome

Jerusalém, 12 Jul 2015 (AFP) – O detento palestino Khader Adnane, que permaneceu em greve de fome por 56 dias, foi libertado na madrugada deste domingo, anunciou a administração penitenciária israelense.

“Khader Adnane, que estava em detenção administrativa, foi libertado”, afirmou à AFP a porta-voz da administração penitenciária, Sivan Weizman.

Adnane, 37 anos, estava preso há um ano no regime de detenção administrativa, que permite uma reclusão por períodos de seis anos renováveis de maneira indefinida.

A saúde de Adnane provocava muita preocupação nos territórios palestinos.

O palestino interrompeu a greve de fome no fim de junho, depois de um acordo entre seu advogado e as autoridades penitenciárias israelenses e foi transferido a um hospital.

Adnane foi detido pouco depois do sequestro e assassinato de três jovens israelenses, crimes que provocaram centenas de detenções de palestinos na Cisjordânia ocupada.

Em 2012, ele permaneceu 66 dias em greve de fome – tomou apenas vitaminas e sal – para denunciar sua detenção e foi libertado. Na segunda greve de fome, o palestino apenas bebeu água.

O governo palestino advertiu que responsabilizaria Israel pelo destino de Khader Adnane, quando o governo israelense retomou em junho o processo para aprovar uma lei que autorizaria a alimentação à força dos detentos quando eles colocam as próprias vidas em risco.

Manifestações de apoio dos movimentos palestinos foram convocadas nas últimas semanas na Cisjordânia e Gaza. A Autoridade Palestina enviou recentemente um relatório ao Tribunal Penal Internacional sobre o tratamento reservado aos presos palestinos nas penitenciárias israelenses.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *