Últimas

Lojas oferecem aos fãs '200 Tons de Cinza'

Publicidade

O livro best-seller “50 Tons de Cinza” (“50 Shades of Grey”), de E.L. James, foi rotulado como uma história de sadomasoquismo light para mulheres. Muito mal escrita.

O longa arrebentou nas bilheterias este ano, arrecadando cerca de R$ 900 milhões ao redor do mundo. E é um filme de sadomasoquismo light para mulheres. Mal escrito, mal dirigido e mal interpretado.

O faturamento deve aumentar com Blu-ray e DVD. A distribuidora consegue lançar agora nas lojas, ao mesmo tempo, quatro versões: DVD (R$ 39,90), DVD com cenas extras “50 Shades Darker” (R$ 44,90), Blu-ray com a versão do cinema (R$ 79,90) e box de Blu-ray com versão do cinema, versão estendida, cenas de ’50 Shades Darker” e o CD com trilha sonora (R$ 99,90).

Divulgação
Dakota Johnson e Jamie Dornan em "50 Tons de Cinzas"
Dakota Johnson e Jamie Dornan em “50 Tons de Cinzas”

Para facilitar o entendimento: “Darker” (que pode ser traduzido por “mais sombrio”) tem cenas teoricamente mais pesadas entre os dois protagonistas, o dominador Christian Gray (Jamie Dornan) e a submissa Anastasia Steele (Dakota Johnson).

No entanto, essas quatro versões somadas, com seus 200 tons de cinza, não conseguem trazer nada de novo que valha a pena ser visto. As cenas de sexo continuam frias, esquemáticas (como também é o roteiro), e não aumentou um tantinho que seja a química entre Dakota e Dornan, que é praticamente zero.

É possível indicar uma ou outra versão? Para quem não ainda não conhece o fenômeno”, o DVD é a opção econômica. Para quem adorou no cinema, aí não adianta argumentar. Pode comprar qualquer um, dependendo do bolso.

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *