Últimas

Monte sua estante com livros da editora Penguin com até 50% de desconto


19/07/2015

18h43


da Livraria da Folha

No mês em que completa seis anos, a Livraria da Folha deu início a uma série de promoções especiais. Abaixo, veja uma seleção de livros da editora Penguin-Companhia com até 50% de desconto e confira aqui a lista completa. A promoção é válida por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques.

Em “Vinte Mil Léguas Submarinas”, navios de diversas partes do mundo começam a naufragar e sofrer misteriosos danos. Preocupados com a situação, governantes e homens da ciência se mobilizam para identificar e deter o monstro marinho responsável pelos ataques. Porém, a missão não ocorre de acordo com os planos, e a “coisa enorme” destroça a fragata em que estavam o professor Aronnax, seu fiel ajudante e o exímio arpoador Ned Land. Resgatados e feitos de prisioneiros pelo Capitão Nelo, os três passam a viver a bordo do submarino Náutilus enquanto navegam por paisagens remotas em uma viagem de 20 mil léguas submarinas.

De Honoré de Balzac, “A Mulher de Trinta Anos” conta a história de Julie, que contraria os conselhos do pai e decide se casar ainda muito jovem com um coronel do exército napoleônico. Infeliz com o casamento e com a maternidade, Julie logo se vê interessada por outros homens, o que dá início ao seu destino trágico – e a uma análise do que significava ser mulher no século 19.

Como o título indica, “Memórias Póstumas de Brás Cubas” traz as confissões de um morto. Desimpedido das pressões da sociedade, ele apresenta os vícios, os preconceitos e as mesquinharias dos brasileiros do século 19. O livro, ao mesmo tempo em que marca a fase mais madura do autor, é considerado a transição do romantismo para o realismo.

Publicada originalmente no século 19, a biografia “Doze Anos de Escravidão” traz o relato de Solomon Northup, um negro norte-americano nascido livre que foi ludibriado por uma proposta de emprego e acaba vendido como escravo. O livro descreve os anos em que ele foi submetido a trabalhos forçados em diversas fazendas da Louisiana até a reconquista da liberdade após uma batalha judicial.

Em 1891, quando foi publicado em sua versão final, “O Retrato de Dorian Gray” foi recebido com escândalo e provocou um intenso debate sobre o papel da arte em relação à moralidade. O livro apresenta um personagem que leva uma vida dupla, mantendo uma aparência de virtude enquanto se entrega ao hedonismo mais extremado.

Publicado originalmente em 1813 e considerado a obra-prima de Jane Austen, “Orgulho e Preconceito” relata o alvoroço na família Bennet com a chegada de dois jovens – o rico Charles Bingley e seu aristocrático amigo, Fitzwilliam Darcy. Entre bailes e encontros inesperados, os laços entre a família Bennet e os dois rapazes começam a se estreitar.

Um dos principais romances urbanos de José de Alencar, “Senhora” é tido por muitos como uma de suas críticas sociais mais contundentes. O livro, que apresenta uma narrativa dividida em quatro partes, conta a história do casamento entre Aurélia, moça pobre e órfã que acaba se tornando herdeira de grande fortuna, e Fernando Seixas, frequentador dos altos círculos da corte, mas incapaz de manter financeiramente sua vida luxuosa.

Para escrever “Ulysses”, considerado um dos grandes clássicos do século 20, James Joyce utilizou uma premissa simples: um homem sai de casa pela manhã, realiza as tarefas do dia e, à noite, retorna ao lar. Inspirado em “Odisseia”, de Homero, o livro é ambientado em Dublin e narra as aventuras de Leopold Bloom e Stephen Dedalus.


+ Conteúdo

+ Ofertas



Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *