Últimas

Setor óptico avança menos do que inflação

O faturamento do setor óptico brasileiro ficou em R$ 9,7 bilhões no primeiro semestres deste ano, o que representa um crescimento nominal (sem descontar a inflação) de 1%, segundo a Abióptica (associação do setor).

O avanço da inflação no mesmo período, no entanto, chegou a 6,17%.

Além de ser inferior à alta dos preços, o ritmo de crescimento também é menor do que o registrado no primeiro semestre de 2014, quando o faturamento aumentou 11% na comparação com os seis primeiros meses de 2013.

“Não temos como interferir nesse resultado, pois ele decorre da queda do consumo em geral no país”, afirma o presidente da associação, Bento Alcoforado.

O desempenho fez a entidade rever a projeção de crescimento do setor no curto e no médio prazo.

Para este ano, a expectativa, que há dois meses era de de 6%, passou para 3%.

“O segundo semestre sempre tem um pouco mais de demanda”, diz Alcoforado.

A estimativa de dobrar as vendas entre 2014 e 2018 também foi alterada. Agora, a projeção é que a meta seja atingida por volta de 2023.

Até agora, porém, o segmento não registrou demissões, segundo o executivo. “As dispensas são mais comuns no vestuário, que contrata muito para datas especiais e depois demite. Nosso setor é enxuto.” O mercado brasileiro de lentes e óculos emprega 150 mil pessoas.

*

Rede hoteleira de MG terá sete novas unidades no Sudeste

Mesmo com a redução na taxa de ocupação hoteleira no país, a rede Arco, de Minas Gerais, prepara a abertura de sete empreendimentos na região Sudeste.

A expansão receberá cerca de R$ 80 milhões em aportes de investidores. Estão previstas unidades no interior mineiro, além de São Paulo e do Espírito Santo.

Hoje, a rede tem 12 unidades em operação, sendo 11 em Minas Gerais e uma no município de Aparecida (SP).

“Buscamos nos expandir próximo de onde já estamos, em cidades carentes de serviços hoteleiros”, afirma Simonal Dias, superintendente da rede mineira.

As primeiras inaugurações ocorrerão neste ano e em 2016 em Sete Lagoas, Viçosa e São Gotardo, em Minas Gerais, e em Colatina (ES).

“Queremos aproveitar a recuperação do mercado nos próximos dois anos.”

100 é o número médio de apartamentos por unidade

25 é o número aproximado de funcionários por hotel

*

Jantar em casa

A indústria de biscoitos, massas, pães e bolos registrou estabilidade no volume comercializado no primeiro semestre, em relação ao mesmo período de 2014, segundo análise prévia feita pela Abimapi (associação da área).

“Apesar das dificuldades econômicas, as indústrias do setor não estão relatando variações negativas”, afirma Claudio Zanão, presidente-executivo da entidade.

A redução nas despesas das famílias com alimentação fora de casa -e a consequente migração de parte desses gastos para o consumo doméstico- é uma das causas para a estabilidade.

“Isso ocorre principalmente no segmento de massas, como o macarrão, que oferece um bom custo-benefício para o consumidor”, diz.

O setor deverá apresentar uma variação positiva do faturamento no primeiro semestre, por causa da inflação do período, segundo Zanão.

Os fabricantes repassaram para o preço final as elevações de custos, como as que foram causadas pelas altas da energia e do dólar.

“Metade do trigo consumido é importada e, portanto, tem o preço dolarizado”, diz. No ano passado, o segmento faturou R$ 32,2 bilhões, um avanço nominal de 11%.

*

Efeito grego

A deterioração da economia grega impactou a expectativa da população europeia em relação à melhora da economia na região, segundo pesquisa da consultoria GfK.

As maiores quedas foram registradas na Alemanha, na Itália e na França –grupo de países que poderá arcar com a maior parte da dívida grega–, afirma o estudo.

No fim do segundo trimestre, 25% dos alemães entrevistados achavam que a economia de seu país iria melhorar, uma retração de 12 pontos percentuais em relação ao primeiro trimestre.

Na Itália houve queda de 16 pontos percentuais e, na França, de quatro. Mesmo sem fazer projeções, o estudo diz que a Grécia ainda impactará a região no 3º trimestre.

*

Radar… O Porto do Açu, no Rio, recebeu da Marinha a licença de instalação de um novo sistema de controle de tráfego. Chamado de VTS, ele funciona como um scanner 360 graus com alcance de 50 km.

…portuário A tecnologia dever começar a operar até novembro. Hoje, nenhum porto do país possui licença para uso do VTS, segundo a Marinha.

Cartilha O governo de São Paulo foi selecionado para um programa de cooperação do Reino Unido. Será criado um guia sobre contratação de projetos de infraestrutura, principalmente por meio de PPPs (parcerias público-privadas).

Aço na rede A siderúrgica ArcelorMittal vai entrar no segmento de varejo digital, com um canal de e-commerce. De início, o projeto incluirá municípios da Grande São Paulo.

*

Hora do café

com LUCIANA DYNIEWICZ, LEANDRO MARTINS, ISADORA SPADONI e DHIEGO MAIA

Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *