Últimas

Um amor maior que a distância do Brasil

Rio – A torcida do Flamengo abraçou o time e a expectativa é de casa cheia no jogo de amanhã, contra o Santos, no Maracanã. Mais de 43 mil ingressos já foram vendidos e os rubro-negros correm para não ficar de fora. Tem até gente vindo de longe para acompanhar a equipe. Edilson Silva, mais conhecido como Edilson Mengo, viajou quase 1.700 km e veio de Muricy, Alagoas, para tentar ver o time do coração.


Edilson Silva fez quase de 1.700 km para ver os ídolos e sonha com ajuda para ir ao Maraca

Foto:  André Mourão

“A única vez que vi o Flamengo foi no Estádio Rei Pelé, no jogo contra o Muricy. Vim até o Ninho do Urubu para abraçar os jogadores. Meu sonho é ser gandula em um jogo do Flamengo”, disse o servente, que estava desempregado e resolveu largar tudo pelo ‘amor de sua vida’.


LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Edilson não conseguiu entrar no Ninho do Urubu para abraçar o ídolo Everton. E espera uma ajuda dos céus para conseguir ir ao jogo e pisar pela primeira vez a arquibancada do Maracanã:

“Cheguei ao Rio na quinta-feira. Estou dormindo na rodoviária. Não tenho dinheiro para comprar o ingresso, mas quem sabe, né?”

O técnico Cristóvão Borges conta com o apoio da torcida. Ele não poderá contar com Marcelo Cirino, que com uma lesão na coxa esquerda, está fora da partida. Após três vitórias consecutivas, o comandante sabe que o Flamengo não pode bobear.

“Continuamos na situação de jogos decisivos. Mas estamos respirando um pouco. Estávamos em uma situação bem difícil. É uma pressão constante. Demos uma respirada, mas seguimos em alerta. Isso porque começamos a ter resultados. Nossa torcida está bem feliz, mas seguimos em alerta. O Santos é perigosíssimo. Estamos ligados também com toda a atmosfera. O Maracanã estará bonito, como a torcida do Flamengo sabe fazer”, disse Cristóvão.

A dúvida do treinador é no meio-campo. Se repetirá a escalação com três volantes, que deu certo contra o Goiás, ou se ousará e colocará um armador, como Alan Patrick, para municiar Everton, Guerrero e Emerson Sheik.

Originalmente matéria publicada no Jornal O Dia (http://odia.ig.com.br)

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *